Estado responde sobre falta de professores

Na manhã desta terça-feira (9), a presidente da Fundação Catarinense de Educação Especial, Rosemeri Batuscheski, esteve na sede da SDR de Brusque para informar a imprensa que a autarquia estadual irá ceder sete professores com horas para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). A vinda dela foi solicitada pelo secretário regional Jones Bósio.

Além da presidente da Apae brusquense, Maria de Lourdes Schlemburg, também esteve presente no encontro a diretora do Lar Menino Deus. Helena Dias. para pedir o retorno dos professores que eram cedidos e esse ano não foram mais liberados para trabalhar na entidade.

A falta de professores para a Apae se deu, segundo Rose Batuschesk, porque Brusque e Itajaí tinham um convênio entre as cidades, onde alunos passavam o período integral em um centro de convivência, em um sitio em Guabiruba, e isso não acontece mais. Ela afirmou que houve um mal entendido. Os alunos foram retirados desse ambiente e levados para a Apae. Uma denúncia anônima fez com que a Fundação Catarinense tomasse as medidas.

A diretora do Lar Menino Deus pediu a Rosemeri para que a situação possa ser revista, quanto ao Lar Menino Deus. Até o ano passado, três professores trabalhavam no local e, agora, a casa teve que contratar uma pedagoga que precisa dar conta de 15 moradores do lar.

Será feito então uma solicitação para a Fundação Catarinense de Ensino Especial, onde vai ser revisto o projeto,e será apurado o motivo para o corte dos educadores.

Dúvidas ou Sugestões