Suspeito localizado e preso

O Poder Judiciário mandou prender, preventivamente, três pessoas que podem ter envolvimento com o assassinato e ocultação de cadáver de Klaiton Reis (17). No dia 12 de março, a mãe do jovem, Angelita Schwambach de Oliveira, residente no Bairro Cedrinho, havia procurado a Rádio Cidade a fim de relatar o desaparecimento de Klaiton. O que teria acontecido na sexta-feira anterior, dia 8 de março. (Relembre o caso)

No dia seguinte, para o desespero da genitora e familiares, o seu corpo foi encontrado em estado de decomposição em uma transversal da Rua Lili Bruns, no Bairro Nova Brasília. (Relembre o caso)

Apesar de serem três os possíveis responsáveis de estarem envolvidos neste homicídio, apenas um deles foi encontrado e preso pela Polícia Civil. Após um intenso serviço de inteligência por parte da Divisão de Investigações Criminais (DIC), os agentes interceptaram Paulo Otávio Pacheco. Ele voltava do Rio Grande do Sul e, ao descer do ônibus no terminal rodoviário Alvim Batistotti, em Brusque, foi detido e conduzido até a delegacia de Polícia Civil.

Os outros dois foragidos estão, segundo o delegado Alex Bonfim Reis, fora de Santa Catarina. Ainda de acordo com o delegado, as investigações apontam para que o crime tenha sido executado por motivação passional. Klaiton teria flertado a namorada de um dos três.

O exame cadavérico feito pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) apontou que a causa da morte de Klaiton seria, além de disparo arma de fogo, vários outros tipos de agressões físicas. A Polícia Civil segue na busca pelos outros dois foragidos.

Dúvidas ou Sugestões