Caso Susan: “foi só uma marretadinha”

Hermes Soethe, advogado de Susan Mara Barbosa Quirino (18) no caso em que a moça confessou ter matado o pai Vilmar Cachoeira Quirino (39), falou em entrevista exclusiva ao repórter Júlio Mocellin que a jovem teria aplicado “apenas uma marretadinha” já que “não tinha a intenção de matar” o pai e que “choraminga todos os dias”. Conhecido por agir em casos polêmicos e de grande repercussão na mídia, Soethe confirma a versão de que a autora teria agido sozinha.

“Não há uma terceira pessoa envolvida”, garante. Para ele, Susan é apenas “uma coitada de uma menina” que está “triste com o que ocorreu” e que cometeu o crime “com dor no coração”. Quanto ao seguro de vida que Vilmar teria direito, o advogado afirmou não estar inteirado de detalhes, mas que a viúva Maria já teria contratado uma advogada para resolver a situação. “É um segurinho mixuruca”, garante Soethe.

Em outro momento da entrevista o jurista afirma categoricamente que Vilmar “várias e várias vezes tentou estuprá-la (Susan) ... várias e várias vezes tentou agredir a família” e que na noite de nascimento do filho também “tentou estuprá-la”. Nas visão de Soethe, Susan “infelizmente não está contente”.  

Dúvidas ou Sugestões