Paróquia São Luís Gonzaga celebra missa ao padroeiro

A Paróquia São Luís Gonzaga celebrou na noite de 21 de junho, na igreja matriz, a missa festiva em honra ao seu padroeiro. O rito foi presidido pelo padre Jaime Ludwig, e concelebrada pelos padres Diomar Romaniv (pároco), Adilson José Colombi, Claudionor José Schmitt, Cristiano Tiago Araújo, Paulo Riffel, Rodrigo Taschek, e Mariano Weizenmann.

A cerimônia reuniu fiéis de diversos locais e das 12 comunidades que integram a paróquia, bem como fez parte dos festejos em comemoração a São Luís Gonzaga, que seguem até dia 26 de junho, próximo domingo. 

“Hoje, celebramos com toda a Igreja, o padroeiro dos jovens e seminaristas. O padroeiro de uma comunidade é referência para seus paroquianos, principalmente no jeito de viver sua santidade. Ele nos inspira a viver, mas também é nosso intercessor junto ao Pai, que eleva as nossas preces e aquele que, diariamente, olha pelo nosso povo. Ao celebrar, recordamos que sua oração nos faz bem e nos ajuda a viver hoje, o que ele viveu”, explica o pároco.

Ao longo da celebração, a comunidade relembrou a história de vida de São Luís Gonzaga, que foi apresentado a Deus por sua mãe, ainda criança, e desde então começou a se interessar pelos caminhos da fé. Aos 23 anos, no ímpeto de ajudar os doentes que estavam convalescendo devido a uma peste, em Roma, contraiu a doença e, pouco tempo depois, em 21 de junho de 1591, veio a falecer. 

Ao tornar-se santo, São Luís Gonzaga passou a ser uma inspiração por suas atitudes, espiritualidade e virtudes que marcaram a sua trajetória de vida, sendo considerado patrono da juventude, dos estudantes e intercessor pelos doentes de AIDS.

Fé e admiração
A moradora do bairro 1º de Maio, Isolete Maçaneiro Venturelli, 73 anos, é atuante na Comunidade São José Operário e fez questão de marcar presença na missa festiva. Para ela, São Luís Gonzaga foi um verdadeiro testemunho vivo de Cristo. 

“Ele viveu intensamente sua santidade e foi muito caridoso com os pobres. Sua fé era imensa e tudo o que fazia em benefício da igreja e dos mais necessitados era com muito amor. O seu dia a dia era consagrado a Deus e se deixava levar pelo Espírito Santo. Eu o admiro muito por ser exemplo de vida. Hoje, aprendi a olhar os meus irmãos da mesma forma que São Luís olhava seu semelhante, um olhar de carinho, compreensão e respeito. Peço para que ele continue me dando forças para ser perseverante e viver com a mesma dedicação que ele viveu”, comenta Isolete. 
Da mesma forma, a moradora do bairro São Luiz e atuante na Comunidade Cristo Rei, Josefina Visconti Frena, 84 anos, esteve na celebração. Ela já recebeu inúmeras graças e sempre que precisa, recorre ao padroeiro. 

“Não tenho palavras para definir o quanto ele é maravilhoso. Passei por várias dificuldades e ele esteve sempre intercedendo por mim. Há pouco tempo, o médico me disse que não voltaria mais a andar e que havia esgotado todos os recursos para me ajudar. Não tive dúvida: pedi com muita fé a São Luís Gonzaga. Hoje, estou aqui, firme e forte, testemunhando o seu milagre”, compartilha Tia Fina, como é carinhosamente conhecida. 

Inspiração
Ao longo de décadas, muitos jovens se inspiraram nas ações vividas por São Luís Gonzaga, entre eles, padre Diomar. “São Luís sempre viveu muito profundamente a espiritualidade. Era um homem de oração, um jovem que procurou viver isso. Viveu em um ambiente de fé. Desde pequenino, eu também queria ser padre, consagrar minha vida a Deus. Tive total apoio da minha família - já ele, no caso, somente o apoio de sua mãe. Lembro-me de uma frase de São Paulo a Timóteo: ‘Ninguém te despreze por ser jovem, da tua parte de testemunho’, e São Luís fez isso. Não foi desprezado porque viveu com autoridade e com dedicação a sua juventude, procurando os valores que ele achava correto, à luz da palavra e da espiritualidade que ele tinha. Para mim essas duas questões, a espiritualidade e a juventude bem vivida são inspirações para minha vida”, expressa.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Servidor da Prefeitura de Brusque morre aos 70 anos

A Prefeitura de Brusque emitiu nesta sexta-feira (24) uma nota de pesar pelo falecimento do servidor público Artur Furbringer, popular Chicão. Ele morreu aos 70 anos de idade. Chicão atuava na Secretaria municipal de Obras. Na função de agente de obras, ele fazia parte do quadro desde 20210 e era efetivo. Local do velório, bem como data, horário e local do sepultamento ainda não foram divulgados.
Continuar lendo...

Defesa Civil está em observação para ocorrência de novos temporais

Entre a madrugada desta quinta (23) e manhã de sexta-feira (24), a atuação de áreas de baixa pressão, combinadas a instabilidades presentes na atmosfera provocam temporais acompanhados de chuva pontualmente intensa em todo o estado. O risco para ocorrências associadas aos temporais (descargas elétricas, rajadas de vento e granizo) e a chuva intensa (alagamentos, enxurradas e deslizamentos) em Brusque é moderado. Qualquer problema deve...
Continuar lendo...

Homem é preso após descumprir medida protetiva

Na tarde desta sexta-feira (24), policiais civis de Gaspar e de Ilhota cumpriram um mandado de prisão preventiva contra um homem por descumprimento de medida protetiva de urgência que havia sido concedida à ex-mulher. Ela possuía medida protetiva de afastamento e proibição de manter contato desde o ano passado, quando o seu ex-marido lhe agrediu. Na época, a Polícia Civil prendeu o homem pelas agressões. No entanto, no dia 31 de...
Continuar lendo...