Papa nomeia cardeais, um deles de Santa Catarina


O papa Francisco anunciou neste domingo (29) que nomeará 21 novos cardeais, incluindo um baseado na Mongólia, e colocou novamente suas impressões digitais no futuro da Igreja Católica Romana ao levar mais clérigos de países em desenvolvimento para o primeiro escalão da instituição.

Dezesseis dos 21 serão cardeais eleitores com menos de 80 anos e elegíveis para entrar em um conclave que escolherá o sucessor de Francisco após sua morte ou renúncia. Onze dos clérigos eleitores são de países fora da Europa ou da América do Norte. 

Entre eles, o arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Ulrich Steiner, natural de Forquilhinha, sul do estado. Ele será  o segundo cardeal natural da cidade e com origem na Diocese de Criciúma, o primeiro havia sido Dom Paulo Evaristo Arns. Dom Leonardo será também o primeiro cardeal da Amazônia brasileira. Além de Dom Leonardo, o papa também nomeou o arcebispo de Brasília, Dom Paulo César.

Os cardeais ficam atrás apenas do papa na hierarquia da Igreja e atuam como seus conselheiros mais próximos no Vaticano e em todo o mundo. Devido ao seu poder e influência histórica, eles ainda são chamados de Príncipes da Igreja, embora Francisco lhes tenha dito para não viver como realeza e permanecer perto dos pobres.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões