Criança e adolescente em discussão

Na manhã desta segunda-feira (1) foi realizado na Câmara Municipal de Brusque o Fórum com as temáticas relacionadas os diretos das crianças e adolescentes. A iniciativa do encontro foi do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, em parceria com o conselho tutelar, que é o responsável pela pelas políticas públicas no município e no encontro estavam presentes conselheiros de entidades governamentais e não governamentais.

O presidente do conselho, Ricardo Vianna Hoffman, diz que os representantes dessas entidades entenderam ser de extrema necessidade a participação de todos esses órgãos e instituições na ação que visa tratar do atendimento à criança e ao adolescente.

Integraram, ainda, a formação a prefeitura, através das secretarias de Educação, Saúde e Assistência Social e Habitação, que buscaram conhecer e discutir essa rede de conhecimento no municio de Brusque.

A promotora de justiça Fernanda Vailatti observa a importância do contato entre as diversas entidades e instituições, porque na área da infância ninguém consegue trabalhar sozinho. “Nem juiz, nem promotor consegue resolver. Dependemos muito do acompanhamento da família da criança e do adolescente e isso é toda uma rede de atendimento que é capaz de proporcionar isso”.

Para ela, esse encontro serviu para esclarecer e trocar idéias de cada órgão, mostrando que todos estão unidos pela proteção da criança e adolescentes.O vice-prefeito de Brusque, Evandro de Farias, o Farinha, participou da abertura do evento e destacou que a prefeitura tem trabalhado de forma integrada por meios das secretarias de Saúde, Educação e Assistência Social para garantir que as crianças e adolescentes sejam atendidos em todas as suas necessidades. "O futuro irá nos agradecer e dizer como o trabalho que está sendo realizado hoje, neste local, foi importante para nossa cidade", destacou.

Para o delegado Alonso Moro Torres, titular da delegacia de Proteção à Criança, à Mulher e ao Idoso (Dpcami), existe uma rede de instituições estaduais e municipais que precisam estar interligada. O profissional da segurança pública destaca que um fórum como esse faz com que as pessoas que são responsáveis e atuam nessas instituições se conheçam e façam uma confraternização que, com certeza, vai ajudar no futuro na serenidade dos procedimentos que envolvem crianças e adolescentes.

“É uma iniciativa ímpar do conselho e a gente espera que ela se multiplique por outras vezes, em outros momentos, para que possamos aperfeiçoar essa rede de assistência e a rede de atendimento de responsabilização para a criança e adolescentes”, frisou.

A proposta é que, além da integração dos órgãos e instituições que depois saia um debate onde possam surgir propostas e idéias para debater no conselho e trazer como base para as políticas publica do município, com foco no atendimento às crianças e adolescentes. Os convênios que estavam programados para serem assinados nesta segunda-feira foram transferidos para quarta-feira (3).

Eles totalizam onze projetos de entidades governamentais e não governamentais, sendo projetos estrema mente internamente em favor de crianças e de adolescentes.

Dúvidas ou Sugestões