SC fecha 2021 com menor número de homicídios da série histórica

A Segurança Pública de Santa Catarina teve um ano exitoso em 2021, com redução dos crimes violentos em todo o estado. Os homicídios tiveram queda de 7,5%, passando de 690 em 2020 para 638 no ano passado. Trata-se do menor número desde que o indicador passou a ser contabilizado, no ano de 2008. Com isso, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes caiu de 9,5 para 8,8 em solo catarinense, a mais baixa do Sul do Brasil. O total de mortes violentas – que inclui também latrocínios, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de ação policial – teve redução percentual ainda mais significativa: 8,9%.

Na avaliação do governador Carlos Moisés, o resultado é fruto de uma gestão integrada entre as polícias, do investimento nas forças de segurança e do alto grau de profissionalismo dos agentes. “São as nossas forças de segurança que fazem de Santa Catarina um dos estados mais seguros do Brasil. Somos uma referência dentro do país e vamos seguir neste caminho. Para 2022, haverá a valorização das nossas polícias, com o reajuste salarial que não ocorria há mais de sete anos. Tenho certeza que teremos outro ano vitorioso”, afirma o governador.

O presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, Giovani Eduardo Adriano, destaca que as mudanças implementadas pela atual gestão do Governo do Estado estão proporcionando uma melhor entrega de serviços para a população: “O redesenho da Segurança Pública, elaborado pelo governador Carlos Moisés, deu certo. Os índices de criminalidade estão em queda. Tivemos dois anos de pandemia, mas agora a tendência é que a vida volte ao normal cada vez mais. Precisamos estar atentos a isso”.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcelo Pontes, o trabalho integrado do Colegiado Superior colaborou para a redução da violência em Santa Catarina ao longo de 2021. “Trabalhar de forma integrada e focar nas ações preventivas nos auxiliou a reduzir esses índices. Destaque para o trabalho da inteligência policial, que serviu de suporte para as ações operacionais devidamente planejadas, e para as ações internas visando a qualificação dos policiais militares. Também houve investimentos em viaturas, armamentos e equipamentos. Estas foram algumas das ações importantes na prevenção e na repressão aos crimes violentos”, diz Pontes.

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, destaca o alto índice de resolutividade das mortes violentas e os trabalhos de investigação no Estado. “Essa resolutividade se dá com a implementação de técnicas operacionais muito fortes e muita investigação. Temos total certeza que ações pontuais refletirão em uma diminuição ainda maior dos crimes em Santa Catarina. A certeza da punição é que faz com que aquele que cometeu o crime saiba que não deve mais cometer, estimulando que outros também não cometam”, afirma o delegado-geral.

Fonte: SECOM/SC

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Mais três mortes são confirmadas na tragédia de Minas Gerais

As equipes de resgate atualizaram as informações sobre o número de mortos e feridos na tragédia do Capitólio, no Sul de Minas Gerais neste sábado (8). Agora, são cinco mortos confirmados e outras 20 pessoas desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros. No começo da tarde deste sábado, um grupo de pessoas fazia passeio de lanchas pelo lago, um dos pontos turísticos daquela região. Parte do paredão de...
Continuar lendo...

Sobe para 71 o número de casos ativos de Covid-19, em Guabiruba

A Prefeitura de Guabiruba informou o Boletim Epidemiológico desta sexta-feira (7). Foi confirmado 20 novos caso de COVID-19, sendo 9 homens e 11 mulheres. Ao total, Guabiruba registra 4399 de Covid-19, destes, 4279 estão recuperados e 71 estão ainda ativos. O Centro de Triagem detectou 4 pessoas suspeitas que estão esperando o resultado do teste. Guabiruba não possui cidadãos internado. Até agora, Guabiruba possui 49 óbitos pelo...
Continuar lendo...

(Vídeo) Chuvas causam alagamentos em sepulturas do Cemitério Parque da Saudade

Uma visita de rotina ao túmulo do pai, nesta terça-feira (18),  deixou o morador de Brusque, Felipe Martins, preocupado com a falta de manutenção ao longo do cemitério Parque da Saudade. Além de mato, as chuvas desta segunda-feira, acabaram inundando parte dos túmulos do local. “O mato está tomando conta, muito material de obra, deixado”, relata, com relação à limpeza e...
Continuar lendo...