População é o foco da proposta de revitalização do Centro de Brusque apresentada pelos acadêmicos da UNIFEBE

Viver o Centro de Brusque de uma forma mais atrativa e sustentável é a principal proposta apresentada nesta quarta-feira (15), pelos acadêmicos da 7ª fase de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE), durante a exposição do projeto de revitalização de 17 vias centrais do município. O material foi apresentado no auditório do Bloco da Saúde (Bloco F) ao poder público, entidades, empresários, comunidade acadêmica e à população em geral.

As sugestões desenvolvidas pelos próprios estudantes apresentam a população como protagonista da cidade e destacam ações para um caminhar mais acessível e um pedalar mais seguro. As propostas foram desenvolvidas durante as aulas das disciplinas de Mobilidade Urbana e Mobiliário Urbano e Paisagismo, orientadas pelos professores Alexssandra da Silva Fidelis e Karol Carminatti.

Para elaborar o material, os acadêmicos levaram em consideração o resultado da Metodologia Internacional DOTS – Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável que, por meio de índices e métricas, qualificou as regiões. No diagnóstico, apresentado em novembro, os estudantes verificaram que em uma escala até 100, a área central de Brusque teria hoje 39,26 pontos.

“As sugestões propõem que os cidadãos possam utilizar as ruas do Centro para trabalho, comércio e lazer. Tudo isso, de acordo com a visão dos nossos próprios estudantes, que vivenciam a cidade e desejam uma Brusque melhor no futuro”, destaca a professora Alexssandra da Silva Fidelis.

De acordo com a apresentação, se realizada a revitalização das vias, em uma escala até 100, a área central de Brusque passaria de 39,26 pontos para 84,81 pontos. “Vimos na pontuação que todas as propostas tiveram um embasamento técnico. Durante a apresentação, fiquei me imaginando andando nessas ruas. Agora, o próximo passo é analisarmos essas propostas, apresentar para a iniciativa privada, para sonharmos juntos e viabilizarmos a execução”, enfatiza o vice-prefeito de Brusque, pastor Gilmar Doerner.

As propostas

Dentre as propostas apresentadas estão calçadas com acessibilidade, implantação de ciclovias, arborização e mobiliário urbano adequado. Diminuição de áreas de estacionamento para criação de calçadões, utilização de espaços de estacionamento privado para criação de edificações, que proporcionem áreas de conexão e permanência para os pedestres.

Para realizar as propostas, com foco em acessibilidade para os pedestres, os estudantes sugeriram que a fiação dos postes do Centro seja subterrânea e que os postes sejam adequados com até 4 metros de altura.

“É um projeto totalmente viável, para que ele se torne realidade, os empresários também precisam conhecer e participar. Precisamos pensar no nosso Centro como uma cidade do futuro, que pode se tornar uma referência para os bairros. Esse é o momento que nós reunimos os três pilares, a universidade, o poder público e a iniciativa privada, e estou bastante orgulhosa e feliz com o resultado, afinal somos uma instituição comunitária, vivemos aqui e pensamos por ela também”, enaltece a reitora da UNIFEBE, professora Rosemari Glatz.

A sugestão do estudo para revitalização do Centro surgiu do próprio Poder Executivo, já que o anseio da sociedade é tornar a área central mais atrativa. “Foi gratificante pensar a cidade de um jeito diferente, de olhar e projetar com uma visão técnica. Vivenciar isso na graduação é, com certeza, um diferencial para o meu crescimento profissional e pessoal”, complementa a acadêmica da 7ª fase de Arquitetura e Urbanismo da UNIFEBE, Amanda Maestri do Nascimento.

Além do vice-prefeito de Brusque, também acompanharam a apresentação das propostas o presidente eleito da Câmara dos Dirigentes Lojistas – CDL, Alcir Otto, a representante do Shopping Gracher, Gisela Gracher, e o representante do Instituto Brusquense de Planejamento – IBPLAN e professor da UNIFEBE, Anderson Buss.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões