Bolsonaro diz que Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (26), que o Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown, ao comentar sobre a possibilidade da chegada de uma nova variante da covid-19, como está sendo cogitada com a cepa surgida na África do Sul e que tem se espalhado por outros países.

“Tudo pode acontecer. Uma nova variante, um novo vírus. Temos que nos preparar. O Brasil, o mundo, não aguenta um novo lockdown. Vai condenar todo mundo à miséria e a miséria leva à morte também. Não adianta se apavorar. Encarar a realidade. O lockdown não foi uma medida apropriada. Em consequência da política do 'fique em casa e a economia a gente vê depois', a gente está vendo agora. Problemas estamos tendo”, disse Bolsonaro.

Sobre a possibilidade de fechar fronteiras, o presidente disse que não tomará nenhuma medida irracional. Também disse que não tem ingerência sobre a realização de festas de carnaval, que são afeitas aos níveis estaduais e municipais de governo.

“Eu vou tomar medidas racionais. Carnaval, por exemplo, eu não vou pro carnaval. A decisão cabe a governadores e prefeitos. Eu não tenho comando no combate à pandemia. A decisão foi dada, pelo STF, a governadores e prefeitos. Eu fiz a minha parte no ano passado e continuo fazendo. Recursos, material, pessoal, questões emergenciais, como oxigênio lá em Manaus”, disse.

Segundo ele, o Brasil é um dos países que melhor está saindo na economia na questão da pandemia. “Nós fizemos a nossa parte. Se o meu governo não tiver alternativas, todo mundo vai sofrer, sem exceção. Não vai ter rico, pobre, classe social. Temos certeza que dá para resolver esses problemas. Eleições são em outubro do ano que vem. Até lá, é arregaçar as mangas, trabalhar. Tem 210 milhões de pessoas no Brasil que, em grande parte, dependem das políticas adotadas pelo governo”, ressaltou.

Sobre a aprovação do projeto de lei que limita o pagamento dos precatórios -  dívidas públicas com ordem judicial de pagamento -, a maioria com muitos anos de atraso, Bolsonaro frisou que não prejudicará os mais pobres.

“Dívidas de até R$ 600 mil, nós vamos pagar. Nenhum pobre, que há 20, 30, 40 anos tem dinheiro para receber, vai ficar sem receber. Agora, quem tem para receber mais de R$ 600 mil, e só Deus sabe como aparece esse precatório, nós vamos parcelar isso daí”, disse.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Em meio a crise, SAMU registra mais de 2 mil atendimentos em 2022

Nas primeiras 48 horas de 2022, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Santa Catarina atendeu mais de dois mil casos, segundo relatório divulgado. Foram 2.254 ocorrências que precisaram de regulação médica no Estado. O dia 1 de janeiro marcou também o primeiro dia do SAMU sob a nova gestão compartilhada, com a SES assumindo as Centrais de Regulação e o aeromédico, enquanto a...
Continuar lendo...

Polícia Civil recupera peça roubada avaliada em R$ 200 mil, em Brusque

Nesta quinta-feira (23), o Setor de Investigação Criminal de Itajaí (SIC), com o apoio da Divisão de Investigação Criminal de Brusque (DIC), recuperou uma peça avaliada em 200 mil reais que havia sido furtada no Porto de Itajaí no dia 14 de dezembro. A peça que é utilizada para auxiliar na atracagem dos navios, e possui o peso aproximado de 5 toneladas, havia sido subtraída após ter sido alocada em terreno...
Continuar lendo...

Populares localizam corpo de jovem vítima de afogamento em Navegantes

Populares localizaram na noite de quarta-feira (29), na praia de Navegantes, na região do Gravatá, o corpo do jovem de 18 anos que desapareceu após ser arrastado por uma corrente de retorno na terça-feira (28). A vítima estava com a namorada quando foram surpreendidos pela força do mar. Ela conseguiu sair com auxilio de banhistas, já o rapaz acabou sendo levado para dentro do mar onde desapareceu. O casal é da cidade de Curitiba-PR,...
Continuar lendo...