Pix terá novas funções e medidas de segurança

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciou, nesta terça-feira (16) que o Pix poderá ser usado para operações sem acesso à internet e em transações internacionais. Ainda não há data para a implantação das novas ferramentas.

Ele destacou a evolução do sistema de pagamentos. “A realidade superou as expectativas. O uso do Pix aumenta mês após mês. A velocidade de adoção é a mais rápida do mundo”. Até outubro deste ano, cerca de 7 bilhões de transações foram executadas por meio do sistema, movimentando R$ 4 trilhões. Ao todo, 62,4% da população acima de 18 anos usou a ferramenta para enviar ou receber dinheiro. 

 

Saque e Troco

Além de um mecanismo de segurança que agiliza a devolução de recursos a usuários vítimas de fraude ou de problemas operacionais entre as instituições participantes, novas funcionalidades devem entrar em vigor no Pix até o fim do ano. O Pix Saque e o Pix Troco começam a funcionar no próximo dia 29, segundo projeção do BC.

Enquanto o primeiro permite que o usuário transfira recursos para uma conta Pix em pontos que ofertarem o serviço e sacar dinheiro em espécie,  segundo permite que o cliente transfira, para a conta de estabelecimentos comerciais quantias maiores que o valor da compra e saque a diferença em forma de troco. 

Ainda neste trimestre, o iniciador de pagamentos, hoje existente para compras com cartão de crédito e débito, deverá ser estendido ao Pix. Por meio dessa ferramenta, o cliente recebe um link com o valor da transação, bastando confirmar os dados e autorizar o pagamento, sem precisar entrar no aplicativo do banco. No caso do Pix, bastará o usuário digitar a senha da conta corrente.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões