Confira os horários de celebrações pelo Dia de Finados em Paróquias de Brusque

A Paróquia São Luís Gonzaga informa dez horários de missas para a celebração de Finados, nesta terça-feira (2). Na capela do cemitério Parque da Saudade haverá celebração às 8h, 9h, 10h, 15h, 16h e 17h. Nas Comunidades Sagrado Coração de Jesus (Guarani) e São João Batista (Bateas), as missas acontecem às 9h. Além disso, haverá celebração na igreja Matriz às 19h, na Casa Padre Dehon, às 19h30.

“A celebração de Finados tem para a Igreja a centralidade no dom da ressurreição. Acreditamos que Jesus morreu e ressuscitou, abrindo para nós a possibilidade de vida eterna”, explica o pároco, padre Diomar Romaniv.

Segundo ele, a celebração de Finados está relacionada com o Dia de Todos os Santos, solenidade que marcará as missas do próximo domingo, 7 de novembro. “Santos são pessoas reconhecidas pela Igreja como exemplo para o nosso caminho. São homens e mulheres limitados, pecadores e com dificuldades, mas que viveram algum elemento fundamental em Cristo, se tornando modelos para cada um de nós. Eles nos ajudam na intercessão, desde o céu, porque estão juntos de Deus e rezam por nós”, destaca padre Diomar.

Padre Diomar lembra que o exemplo dos santos pode servir de inspiração para as reflexões e memórias de amanhã, pois os entes queridos já falecidos também deixaram suas marcas no mundo. “Queremos recordar as mesmas qualidades em homens e mulheres de nossas famílias. Assim como os santos, pecadores e limitados, mas com elementos muito bons, como a alegria, dedicação, generosidade, amor à família. Vamos rezar para que eles estejam no céu e intercedam por nós”, pontua.

O pároco ainda ressalta que Finados não é um dia de tristeza, mas de saudade e, sobretudo, de gratidão, às pessoas que contribuíram na formação de seus familiares, na vida social e da Igreja. “Queremos aproveitar para refletir sobre o sentido da morte, em todo seu mistério, dor e luto. Mas, também, na perspectiva cristã de passagem, de porta que se abre para a continuidade da vida junto de Deus. Para quem fica é triste e dolorido. Para quem parte, é o dia do encontro com o abraço misericordioso do Pai. Queremos entender o mistério da morte à luz da ressurreição de Jesus”, lembra padre Diomar.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões