Neto, do Sine, diz ser obrigado a repassar parte do salário a Jones Bosio

Uma mensagem enviada pelo diretor do Sine de Brusque, Waldir da Silva Neto, ao ex-presidente do Democratas de Brusque, Jones Bosio, está dando o que falar. No recado, ele reclama de ter que repassar 25,42% do salário que recebe a uma outra pessoa, André Archer, para que seja o montante encaminhado a Jones.

Na mensagem, que teria sido enviada por Neto há alguns meses, o diretor do Sine faz a reclamação e pede que Jones emita boletos para comprovar o que seria o destino do valor, para custeio das despesas do partido. Em determinado trecho, ele cita que outras pessoas também devem estar fazendo esse repasse.

“Não quero duvidar, que esse valor que eu e certamente mais alguns repassam é para pagamento de débitos do partido, mas para ser mais transparente emita um boleto com a porcentagem determinada pelo estatuto do Democratas”, cita.

Em seguida, Neto coloca que não está no cargo apenas por filiação partidária, mas por capacidade, mérito de trabalhar de verdade. Ele ainda diz que tem passado mal sempre que recebe o pagamento com a situação de ter de repassar o valor exigido.

Neto afirma que a situação veio à tona tempos atrás, quando um servidor denunciou o caso ao Ministério Público, das supostas rachadinhas. Na época, o diretor do Procon disse que contatou a Procuradoria Geral do Municipio para denunciar criar o caso. Ele afirma que foi um dos primeiros a se negar fazer a “contribuição”, mas já teve momento em que ajudou.

"Não tenho mais o que falar sobre o caso, é esperar as medidas que o Promotor dr. Taylor irá tomar", disse. Taylor é o promotor Daniel Westphal Taylor, que trata de questões relacionadas à modalidade pública.

O que diz Jones Bosio

A reportagem entrou em contato com Jones Bosio sobre o assunto. Ele, que atualmente preside o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) em Brusque, disse desconhecer o conteúdo da mensagem. Segundo Bosio, a mensagem nunca chegou a seu celular e colocou em dúvida se Neto de fato enviou. Ele ressalta que jamais houve esse tipo de exigência de que pessoas ligadas ao partido tivessem que repassar valores.

Inclusive de que muitos o procuraram tempos atrás, após surgirem informações sobre casos de “rachadinhas” na Prefeitura para reafirmar que isso nunca ocorrera.

Em relação ao servidor André Archer, que ocupa atualmente a função de diretor da defesa Civil, Bosio afirma que ele não é indicação sua para ocupar o cargo.

A reportagem não conseguiu contato com André Archer, mas o espaço fica aberto para sua manifestação.

O caso citado por Neto está com o Ministério Público para apurar a existência de esquema de “rachadinhas”, quando o servidor tem que devolver valor do salário para quem o indicou.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões