56ª Pronegócio movimenta setor têxtil e de confecção

A 56ª Pronegócio teve início nesta segunda-feira (23). A rodada de negócios de confecção apresentou a coleção Alto Verão 2021-2022 de 120 marcas catarinenses, nos segmentos masculino, feminino, infantil, moda praia e fitness. O evento é uma realização da Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AmpeBr), em parceria com o Sebrae/SC, e acontece até a quinta-feira, 26, no Clube Santos Dumont.
O primeiro dia de Pronegócio, registrou intensa movimentação, com clientes chegando de diversas partes do Brasil e gerando negócios significativos, os quais movimentam toda cadeia produtiva têxtil e de confecção. 
De acordo com a presidente da AmpeBr, Sandra Neli Werner, os números desta segunda-feira demonstram que o evento deve alcançar o mesmo volume de negócios de 2019, ou seja, antes da pandemia, momento em que a rodada acontecia normalmente. “Nossa expectativa é continuar atingindo a meta de 2019, para a Pronegócio Alto Verão. Estamos com um índice de comprador X fabricantes excelente, então as empresas sairão daqui com a carteira cheia de pedidos. As coleções estão lindas, cada vez mais nossas marcas estão ditando moda, tendência, apresentando muitos tecidos alternativos, o que demonstra uma reinvenção inclusive dos fornecedores de matéria-prima. Penso que mais uma vez a AmpeBr cumpre seu papel de associação ao realizar este evento que movimenta toda a economia não só da região, como também do estado de Santa Catarina”, avalia.

Experiência
Quem esteve no primeiro dia de negociações do evento foi o comprador Álvaro Rodrigues, da cidade de Santo Amaro (Bahia). Na oportunidade, ele conheceu pela primeira vez a estrutura da rodada e garantiu peças para sete das 105 lojas da rede em que atua no nordeste do país. “Recebemos a visita dos diretores da AmpeBr e de início já nos interessamos pelo evento. Visitávamos fábricas em específico aqui na região, mas a rodada ainda não conhecíamos. Ficamos surpresos com a estrutura e organização do evento e acredito que teremos bons negócios ao longo da semana. Todas as empresas participantes apresentaram qualidade nas peças, dentro do que procuramos e até agora vimos preços justos. Sem dúvida devemos voltar para as próximas edições do evento”, avaliou. 
Assim como ele, a compradora de Canoas (RS) Raphaela Zahran também participou do primeiro de negociações da 56ª Pronegócio. Representando uma rede de sete lojas em várias cidades do Rio Grande do Sul, o grupo já havia vindo em edições anteriores da rodada, entretanto, por conta da pandemia, acabou não participando mais do evento. Após o convite presencial em uma das viagens de prospecção realizadas pela AmpeBr, o grupo retornou à maior rodada de confecção do país. “É importante participarmos, conhecermos fábricas novas. Santa Catarina tem uma ampla demanda de produtos que encontramos aqui no evento. Procuramos uma moda de acordo com o perfil dos nossos clientes, com tendências com o preço que o nosso cliente pode comprar. E dentro do que esperávamos, tivemos uma boa oferta, até pela situação do mercado. Com certeza pretendemos retornar em outras edições”, completou.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões