Indignados, moradores queriam tirar satisfação com vereadores na saída

Alguns moradores do bairro Limeira Alta queriam esperar na porta de saída da Câmara Municipal os vereadores que votaram a favor da instalação de uma empresa de tratamento de resíduos naquela região. Eles estavam indignados com o resultado da votação, que autorizou a doação do terreno por parte da Prefeitura na noite desta terça-feira(17). 

O placar foi apertado, 8 x 6, dividido entre os próprios parlamentares a respeito do tema.

Polêmica, plenário lotado e vaias foi o cenário da votação do projeto,  que já estava tramitando na Câmara Municipal de Brusque havia alguns meses e, finalmente, foi à votação nesta terça-feira. O grupo de moradores tomou conta do plenário e a cada manifestação dos vereadores se posicionavam. Ou com aplausos ou com vaias.

 Como foi no caso da manifestação feita pelo vereador Jean Pirola, do Progressistas. Ele retrucou colocações feitas em instantes antes pelo vereador André Vechi (DC) de que o empresário e proprietário do futuro empreendimento teria invadido o local e não apresentado nenhuma das licenças exigidas pelo poder público. 

O vereador Ivan Roberto Martins (DEM) foi mais enfático. Ele disse que votaria com tranquilidade pela aprovação por ter a ciência de que esse tipo de projeto não é de responsabilidade da Câmara. Até porque, segundo ele, já há uma lei de 1991 que autoriza a doação de imóveis do poder público para instalação de empresas. 

Martins,  no entanto,  não poupou o Executivo ao afirmar que a Prefeitura quis jogar para o Legislativo uma responsabilidade que não é da casa.

"Isso foi de uma grande irresponsabilidade ", pontuou ele.

Mas foi o vereador André Vechi, do Democracia Cristã, quem fez as colocações mais duras. Ele votou contra e apresentou uma série de argumentos na busca de convencer a derrubada da proposta. Entre elas a de que a empresa não apresentou todas as licenças para iniciar as obras, começou as mesmas sem qualquer tipo de autorização e chegou a dizer que o espaço público foi invadido.

"Que recado vamos dar pra população se aprovar os esse projeto Não? (...) Não venham me dizer pra aprovar e depois os órgãos como a Fundema e Ibplan vão fiscalizar. Se não fiscalizaram até agora", soltou na tribuna.

Ao final da discussão, o projeto foi aprovado por oito votos favoráveis e seis contrários.

Na plateia, os moradores deixaram o local aos gritos, dizendo que vão se lembrar dos vereadores que aprovaram a instalação na próxima eleição.

A VOTAÇÃO

Favoráveis ao projeto

André Rezini (Republicanos)

Deivis da Silva (MDB)

Jean Pirola (Progressista)

Ivan Martins (DEM)

Rick Zanata (Patriota)

Nick Imhof (MDB)

Natal Lira (DC)

André Batistti (PL)

Contrários

André Vechi (DC)

Marlis Schiessl (PT)

Cacá Tavares (Podemos)

Beto Piconha (Podemos)

Jean Dalmolin (Republicanos)

Rogério dos Santos (DEM)

 

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

(VÍDEO) Pedalada pede ajuda para tratamento de AME

Vários ciclistas foram para as ruas neste último domingo (07), para o Pedal Solidário da Manu em Brusque. O evento foi uma iniciativa para arrecadar valores e ajudar no tratamento da pequena Manuela que tem a Atrofia Muscular Espinhal. A pequena precisa tomar medicamentos diariamente e antes dos dois anos de idade precisa usar uma medicação que custa cerca de nove milhões de reais. A ação teve apoio da Fundação...
Continuar lendo...

Condutor é detido por embriagado, após colidir contra uma placa

Um Ford Fiesta colidiu contra a placa de um estabelecimento comercial da rua Maximiliano Fürbringer, no Bairro Souza Cruz, no fim da tarde desta sexta-feira (17). O condutor, de 39 anos, acabou sendo detido por embriaguez ao volante.  A constatação foi feita quando policiais militares chegaram no local para o atendimento. De acordo com o relato policial, o devido ao grau de embriaguez, o condutor não conseguiu fazer o teste de alcoolemia. Ele foi encaminhado,...
Continuar lendo...

Guabiruba chega a 35 dias sem registrar óbito por Covid-19

Guabiruba está a mais de um mês sem registrar novo óbito por Covid-19 no município. O último registro feito foi em 28 de julho, quando faleceu um homem de 71 anos. Neste 1º de setembro, Guabiruba chega a 35 dias sem óbito por Covid-19, o que já demonstra melhora na diminuição de novos casos de coronavírus no município, e certa estabilidade no registro de novos óbitos por Covid-19.  
Continuar lendo...