(VÍDEO) Álcool e maconha: o que fez o motorista antes de atropelar e matar Milena

Vídeos

Responsável pela morte de Milena passou o dia bebendo e fumando maconha

O motorista que atropelou e matou a menina Milena Ketlin Ristow (9) no sábado (17) desandou a chorar quando preso e interrogado na Delegacia de Polícia Civil. Ele a atingiu por volta de 18h, na Rua Davi Hort, no bairro Cedro Alto e, desde então, está preso em flagrante pelo crime. 

Segundo o delegado responsável pelo caso, Matusalém Júnior de Moraes Machado, o rapaz não estava no local do crime. Porém, uma testemunha que havia sido ultrapassada pelo autor dos fatos informou que teria sido um Fiat Uno de quatro portas, de cor prata, que atingira Milena e a mãe.

Preso e levado até a delegacia, ele foi submetido ao exame clínico pelo perito médico, cujo resultado constatou embriaguez. O homem assumiu que estava em um jogo de futebol desde a manhã daquele dia, além de ter ingerido bebida alcoólica. Mas não foi só isso que consumiu.

“No momento do interrogatório, ele confessou que teria tomado cerveja e fumado maconha naquele dia. Conseguimos imagens dele chegando no campo por volta das 9h45 e deixando o local por volta de 18horas. Ele disse que fumou maconha antes e depois do jogo. Por volta das 11 horas, teve um churrasco, onde começou a beber cerveja e bebeu o dia inteiro”, relata o delegado. 

Conforme Matusalém, o homem disse não lembrar do aconteceu. A última lembrança seria a de que, durante o churrasco,  teria recebido uma camisa do Brusque. Também afirmou não recordar do momento do crime e nem do momento de sua prisão. 

“Assim que ele entrou na sala, já pude perceber um odor muito forte de álcool. Foi feita uma perícia no veículo. Ainda aguardamos os laudos, mas, segundo informações preliminares, havia sangue da vítima no veículo e isso vai ajudar a comprovar o crime”, prossegue Matusalém. 

Questionado sobre o possível arrependimento do autor dos fatos, o delegado disse que ele chorou. “Ele parecia estar arrependido. Quando eu perguntei se ele lembrava do que aconteceu, que ele tinha assassinado uma criança de 9 anos, com atropelamento, ele começou a chorar, chorou bastante, mas disse que não se lembrava do caso”. 

As investigações seguem. O depoimento da mãe, que estava com a menina no momento, ainda não aconteceu. Por conta disso, ainda não se pode dizer se foi na calçada ou na via pública o ocorrido, disse o delegado. A mãe de Milena segue hospitalizada e está em estado de choque.

Matusalém afirma que ele permanecerá preso. O rapaz foi autuado por  homicídio culposo, com aumento de pena por não ter prestado socorro e pela qualificadora de estar dirigindo embriagado. Além disso, foi autuado pelo crime de fugir do local, da responsabilidade criminal e por posse de drogas, já que a polícia encontrou uma quantia de maconha no carro dele. 

“As investigações ainda terão sequência. Então, nada impede que o Ministério Público denuncie ele por homicídio doloso. Daí seria o caso do julgamento popular, mas depende das investigações”, concluiu.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões