Luciano Hang emite nota sobre convocação para depor em CPI

O empresário da rede e lojas Havan, Luciano Hang, se manifestou por meio de nota, após ser convocado para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). A comissão apura a atuação do Poder Público na condução do combate à pandemia da Covid-19.

Hang afirmou estar tranquilo com a possibilidade e estar disponível para prestar esclarecimentos. O empresário afirmou ter se posicionado “a favor da saúde, sem deixar de lado os cuidados com a economia do Brasil” e reforçou sua atuação na busca por incentivos e doações destinadas à saúde, como a doação de recursos financeiros e aquisição de cilindros de oxigênio.

“Eu mesmo peguei o vírus, perdi a minha mãe e amigos muito próximos. Acredito na importância de trabalharmos juntos para vencer essa guerra. É preciso buscar soluções para os problemas”, afirmou.

 

Confira íntegra da nota:

Recebo com tranquilidade a notícia da possível convocação para a CPI da Covid-19 e estou à disposição para qualquer esclarecimento. Nada melhor do que a verdade para elucidar os fatos.

Assim que a pandemia chegou ao país, no começo de 2020, sempre deixei claro que temos dois inimigos: o vírus e o desemprego. Me posicionei a favor da saúde, sem deixar de lado os cuidados com a economia do Brasil. Lutei publicamente para que as indústrias, empresas, comércios, escolas e demais atividades seguissem abertas, mantendo os empregos e o sustento das famílias.

Intensifiquei as doações e incentivos à saúde. Compramos 200 cilindros de oxigênio para Manaus (AM), no valor de quase R$ 1 milhão, durante o período mais crítico do estado. A Havan destinou mais de R$ 5 milhões para áreas da saúde em 2020. Doamos respiradores, macas, roupas de cama, utensílios de cozinha e máscaras descartáveis a diversos hospitais. Custeamos a vinda de profissionais da saúde de outros estados para fortalecer o atendimento na região de Brusque (SC). E, com a união de empresários da cidade, conseguimos doar testes e medicamentos à Secretária de Saúde.

Até hoje mantivemos todos os nossos 20 mil colaboradores, não desligamos nenhum por conta da pandemia e deixamos gestantes, pessoas com comorbidades e grupo de risco em casa. Continuamos investindo, abrindo lojas e acreditando no Brasil.

Além disso, também me empenhei na luta pela compra e doação de vacinas pela iniciativa privada. Lançamos um abaixo-assinado com o objetivo de mudar a Lei para acelerar o processo de vacinação no Brasil e, consequentemente, diminuir a fila do SUS. Abraçamos essa causa, pois queríamos muito conseguir imunizar os trabalhadores e também dar a chance de outros empresários fazerem o mesmo.

Eu mesmo peguei o vírus, perdi a minha mãe e amigos muito próximos. Acredito na importância de trabalharmos juntos para vencer essa guerra. É preciso buscar soluções para os problemas.

Por fim, continuo onde sempre estive: do lado do Brasil e dos brasileiros. Vamos em frente!

 

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões