Paróquia São Luís Gonzaga festeja padroeiro

Perfumada e iluminada. Foi assim que a igreja Matriz São Luís Gonzaga recebeu os fiéis na noite de segunda-feira (21)  para festejar seu padroeiro, finalizando uma semana inteira de celebrações e visitas de padres que já atuaram na Paróquia.
Presidida pelo pároco Pe. Diomar Romaniv e concelebrada pelos padres Paulo Riffel, Adilson José Colombi, Cláudio Marcio Piontkewicz, a missa festiva contou com a presença de fiéis de diversas comunidades que integram a Paróquia São Luís Gonzaga.
Ao lado esquerdo do altar, a imagem do padroeiro recebeu um jardim de lírios brancos, sinal de pureza e santidade. “Padroeiro é sempre aquele santo que intercede pela paróquia de maneira especial, como pai da comunidade, que olha, que zela, que cuida de seus paroquianos. E hoje nós celebramos o nosso padroeiro, nosso pai espiritual, aquele que está intercedendo por nós no céu e que de maneira mais direta acompanha a nossa vida espiritual, nossa necessidade, aquilo que nós realizamos na construção do reino de Deus. E ao mesmo tempo ele é o principal inspirador da nossa ação pastoral. Olhamos para ele, que viveu uma vida de santidade, ainda que muito jovem, mas extremamente determinado às coisas de Deus, e nos inspiramos nas suas atitudes, no seu jeito de viver, na sua espiritualidade, nas virtudes que marcaram a sua vida, para que nós consigamos viver ao menos um pouquinho do que ele viveu”, comentou Pe. Diomar.
Segundo o pároco, durante toda a semana de celebrações especiais, iniciada no dia 14 de junho, o maior objetivo da Paróquia foi o de destacar a pureza e a santidade. “Num mundo tão impuro, de tanta maldade, olhamos para um jovem de 20 e poucos anos que viveu a pureza, que procurou a santidade e assim se questionava sempre se as suas escolhas lhe dariam a possibilidade de ir para o céu. É esta pureza que nós queremos despertar no coração de cada um dos nossos fiéis. O símbolo principal da pureza para a Igreja, e a imagem dos santos relata isso, também de São Luís, é do lírio. Por isso ao longo de toda essa semana fomos montando um jardim de lírios, que além de sua beleza e seu perfume, nos indica para o sinal da fé, para esta virtude que somos convidados a abraçar”, explica.

Visitas especiais
As celebrações realizadas de 14 de junho até ontem (21), foram presididas por padres que já atuaram na Paróquia em algum período. Uma forma carinhosa, segundo Pe. Diomar, de valorizar a história que ajudaram a construir. 
Sobre o sentimento de tê-los mais uma vez na Matriz, o pároco enaltece os momentos de fraternidade, sempre muito enriquecedores. “Para nós, os padres de nossa comunidade religiosa, foi uma experiência muito especial primeiro pela alegria de viver a fraternidade, de conviver antes ou depois das celebrações e ouvir deles os momentos, as histórias, as dificuldades que encontraram, as saudades que sentem, as pessoas de quem têm lembranças. Isso enriquece a nossa vida fraterna, nosso ser dehoniano. E para a comunidade foi uma oportunidade de rever alguém que marcou a vida, que participou de momentos significativos da vida da paróquia, mas também da vida particular das famílias, batizados, casamentos, comunhão, às vezes também de momentos difíceis de sofrimento e de morte. Tudo isso foi significativo para recordar esses valores que vão sendo marcados na história da paróquia”, complementou Pe. Diomar.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões