MPF em SC recorre de decisão proferida contra diabéticos

O Ministério Público Federal (MPF) em Santa Catarina interpôs recurso contra decisão da Justiça Federal que indeferiu pedido de tutela de urgência em ação contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O objetivo da ação é garantir a avaliação laboratorial e a fiscalização dos instrumentos de monitoramento de glicose no sangue (glicosímetros) comercializados no país.

Ajuizada pelo procurador da República Carlos Augusto de Amorim Dutra, a ação do MPF tem origem em inquérito instaurado em 2016. Ao longo de cinco anos, foram realizadas inúmeras diligências, reuniões e oitivas de servidores da Anvisa. Ao final das investigações, ficou demonstrado que os resultados obtidos a partir da medição de glicose no sangue apresentam diferença significativa conforme o equipamento utilizado, trazendo insegurança aos usuários quanto às medidas a serem adotadas.

Ao questionar a decisão judicial, que diz não ter sido evidenciada a situação emergencial necessária à concessão da medida liminar, tampouco o risco de dano irreparável, o MPF alega que, justamente neste momento delicado de pandemia, em que as pessoas diabéticas são consideradas grupo de risco para a Covid-19, prorrogar a avaliação laboratorial e a fiscalização dos glicosímetros é um verdadeiro absurdo.

Por isso, o MPF quer que a decisão seja reformada e que seja concedida liminar, determinando que a Anvisa apresente cronograma com as etapas necessárias à realização da avaliação laboratorial dos glicosímetros, que defina a metodologia a ser adotada pelos laboratórios que realizarão a avaliação e que credencie esses laboratórios.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões