(VÍDEO) “A situação financeira do Brusque FC é positiva”

Vídeos

“A situação financeira do Brusque FC é positiva”

Essa foi a frase usada pelo diretor financeiro do Brusque FC, Rogério Lana, em relação as finanças do Clube. Conforme ele, o cuidado é extremo em relação aos gastos para que o clube possa seguir fazendo boas campanhas e cumprindo os gastos. 

Projetando a participação na série B do Brasileiro em 2021, Rogério é claro e diz que a folha salarial precisa ser analisada com cautela para que não ultrapasse os limites. 

“Para que a gente tenha um equilíbrio financeiro o ideal é que a folha de pagamento não ultrapasse R$600 mil, porque nós temos despesas além disso. Aí entramos numa zona de perigo. Quando estamos numa série B, as despesas aumentam bastante. Por exemplo, quando estávamos na série C, gastávamos de farmácia em torno de R$2 mil. Hoje já é em torno de R$ 5 mil. Quero dizer que tudo sobe, equipamentos da fisiologia, são caros. Então, conforme o time vai subindo a necessidade das coisas também”. 

O pensamento do diretor já está também nas contratações que serão necessárias para a temporada. Lana diz que é preciso o máximo possível de acerto do departamento de futebol na escolha dos jogadores.

 “Teremos que contratar entre sete ou oito novos jogadores para a série B, e é importante que o departamento de futebol não erre, para que esse custo não fique dobrado, então não gastar quando não precisa e quando precisa gastar bem”, afirmou. 

Com a pandemia, o clube teve prejuízos com ausência do público no estádio Augusto Bauer. A estimativa é que cercas de R$2 milhões deixaram de ser arrecadados nesse período.

 “Todo o público que entra no estádio, dentro das condições de jogo maior ou menor são 40% que ficam no caixa do clube, 60% vão para despesas gerais. Então eu calculo que o Brusque deixou de arrecadar até agora com essa situação da pandemia uns R$2 milhões”, finalizou.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões