Déco Batisti critica ato partidário alusivo a óbitos por Covid-19, em Brusque

Durante a sessão ordinária de terça-feira (06), o vereador André Batisti, o Déco (PL), rechaçou o protesto realizado por pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores (PT) de Brusque em alusão às vidas interrompidas na cidade por conta da Covid-19 e contrário à gestão da pandemia pelas autoridades brasileiras. O ato ocorreu na sexta-feira, 2. Na ocasião, 200 cruzes de madeira foram fixadas às margens do rio Itajaí Mirim, na Beira Rio. 
 
“Não deixou de ser um ato politiqueiro, atacando as ações do governo durante a pandemia. Achei uma falta de respeito, visto que o foco não era levar conforto para as famílias. Se for analisar, o governo [o partido] que fez esse ato, quando estava no governo, gastou R$ 25 bilhões numa copa do mundo, R$ 38 bilhões numas olimpíadas, R$ 63 bilhões em dois eventos, e no mesmo período gastava só R$ 48 bilhões na Saúde. Fora isso, diminuiu 43 mil leitos de internação, que hoje fazem falta”, afirmou Déco.
 
Em aparte, Marlina Oliveira Schiessl (PT) contra-argumentou: “Este ato representou a solidariedade das pessoas que compõem o partido, inclusive eu. Ou o senhor acha que eu não fui solidária e que não estive com todo meu sentimento empregado nesse movimento?”, indagou a vereadora. “Ainda vivemos numa democracia e podemos nos manifestar”, disse.
 
André Vechi (DC) lembrou que a afixação de materiais em áreas públicas depende de prévia autorização do Instituto Brusquense de Planejamento (Ibplan). “Protocolei um ofício ao diretor-presidente do Ibplan questionando, porque qualquer cidadão que queira usar uma área pública para fixar um banner, uma barraca, precisa de autorização. O Partido dos Trabalhadores não o fez e será notificado para retirar [as cruzes], parece até que já retirou”, informou.
Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões