Ação quer proibir Prefeitura de vacinar estudantes contra Covid-19 e fazer cadastro prévio no site

Uma Ação movida na justiça busca fazer com que a Prefeitura de Brusque pare de fazer o cadastro de pessoas para aplicar a vacina contra a Covid-19, bem como proíba a aplicação das doses em estudantes de medicina em ação programada para a próxima semana. A ação é assinada pelos advogados Danilo Visconti, Cicero Visconti e Geraldo José Duarte.

No documento, que tem 13 páginas, os advogados apresentam diversos elementos que, segundo eles, denotam que o modelo adotado por Brusque busca privilegiar pessoas e tornar legal o chamado “fura fila”.

Entre as situações levantadas pela ação está o fato de estudantes do curso de medicina da Unifebe, do qual o secretário municipal de Saúde, Osvaldo Quirino de Souza, é coordenador terem recebido as doses no grupo prioritário.

Os advogados levantam questionamentos sobre o modelo adotado, afirmando que isso inibe o acesso de pessoas idosos na faixa dos 60 anos e atrasa todo o processo de aplicação das vacinas.

Sobre a proibição de cadastro no site da Prefeitura, o grupo alega que milhares de pessoas não possuem acesso à internet e essa forma privilegia outros grupos.

O prefeito Ari Vequi disse à Rádio Cidade esta manhã, durante entrevista ao programa Rádio revista Cidade, que tomou conhecimento do caso naquele momento, na emissora. Ele afirmou que vai solicitar à Procuradoria Geral do Município agilize as tratativas para se defender da colocação para que isso não atrapalhe ainda mais o trabalho de aplicação das doses.

Vequi disse que, ao saber os nomes dos autores da ação, que se trata de algo com cunho político. Isso porque, segundo Vequi, os advogados atuaram e tem ligação com uma das coligações que disputou a eleição municipal de 2020 e saiu derrotada. No caso, do ex-prefeito Ciro Marcial Roza.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões