Deputados voltam a cobrar que governo do Estado acelere compra de vacinas

Diversos deputados tomaram a palavra durante a sessão plenária da manhã desta quinta-feira (11) para apelar ao governo do Estado para que acelere o processo visando adquirir vacinas contra a Covid-19 para uso da população catarinense.

Entre os parlamentares mais enfáticos, Valdir Cobalchini (MDB) observou que Santa Catarina já ultrapassou a marca de 8 mil mortes pela doença, com o registro de cerca de 100 novos óbitos a cada dia, e que o governo já anunciou que dispõe de cerca de R$ 300 milhões em caixa para a compra dos imunizantes.

“Em Santa Catarina todas outras medidas, por mais importantes que sejam, são significativamente menos prementes que a vacina. Por isso o apelo para que o governador e sua equipe da área da saúde façam os devidos contatos buscando estabelecer um ambiente para que o Estado adquira essas doses para imunizar o nosso povo.”

Ele disse ainda que  a Assembleia Legislativa tem buscado dar apoio à iniciativa, por meio da apresentação e tramitação agilizada de projetos, indicações e moções visando regulamentar a aquisição e utilização de vacinas contra a Covid em território catarinense.

Entre eles, foi citado o Projeto de Lei (PL) 35/2021, de autoria do deputado Neodi Saretta (PT), que define que, além das vacinas que sejam certificadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Estado também possa adquirir as que tenham, ao menos, taxa global de eficácia de 50%, conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O texto prevê ainda que o governo poderá firmar convênios com a iniciativa privada para operacionalizar a logística de vacinação dos trabalhadores de empresas catarinenses, bem como adiantar o calendário de imunizações, desde que comprovada a vacinação da prioridade anterior.
Já aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, o PL agora se encontra em análise na Comissão de Finanças e Tributação.

Marcius Machado (PL) destacou uma moção, de sua autoria (retirada da pauta de votação em plenário para aprimoramento do texto), que apela ao Ministério da Saúde para que libere as indústrias farmacêuticas para a compra, venda e aplicação dos imunizantes, desde que haja autorização da Anvisa. “Acredito que esta medida pode contribuir para desafogar o sistema público de saúde e auxiliar na imunização do nosso povo”, disse.

Destacando outros aspectos ligados à crise que o Estado vivencia em razão da pandemia de covid, mais deputados se somaram ao apelo.

“Temos mais de 400 catarinenses esperando um leito de UTI e só tem uma solução, a vacinação em massa. É o que a população está pedindo, está querendo”, disse Mauricio Eskudlark (PL).

“Estamos também diante da possibilidade de falta de oxigênio e insumos para internação e a situação pode ficar ainda mais grave. A única solução é a vacinação em massa, que governo federal possa acordar para isso e que nós, deputados estaduais, possamos colaborar também”, afirmou Fabiano da Luz (PT).
 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Divisão de furtos, roubos e receptação é apresentada na ACIBr

O delegado regional, Dr. Fernando de Faveri, participou da reunião de diretoria da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), na tarde desta segunda-feira, 29 de março. Na oportunidade, ele apresentou o delegado, Dr. Fernando de Farias, que assumiu a Divisão de furtos, roubos e receptação no município. “Foi uma honra receber a visita e conhecer esta nova área da Polícia Civil, que vai beneficiar as empresas e a...
Continuar lendo...

Moradora do bairro Bateas é a 218ª vítima de Covid-19 de Brusque

O óbito de uma mulher de 53 anos por Covid-19 foi registrado nesta quarta-feira (21). Ela foi a 218ª vítima da doença no município de Brusque desde o início da pandemia. A moradora do bairro Bateas manifestou os primeiros sintomas da doença em 21 de março e foi internada no Hospital Azambuja dois dias depois. No dia 24 ela foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva do hospital. Ela possuía registro de comorbidade e...
Continuar lendo...

Hospital Azambuja adota compras por licitação

O Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux, o Hospital Azambuja,  iniciou com a modalidade de processo licitatório para a compra de produtos e insumos. Ainda em 2020, uma experiência com o modelo foi feita e analisada pela diretoria do local e constatou  benefícios e maior segurança. “Tivemos uma experiência com o Observatório Social de Brusque (OSB) no ano passado, quando foi destinado um recurso do Fórum da Comarca...
Continuar lendo...