MP que facilita compra de vacinas é sancionada

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (10), em cerimônia no Palácio do Planalto, a Medida Provisória (MP) 1.026/21, conhecida como MP das Vacinas. A medida facilita a compra de vacinas, insumos e serviços necessários à imunização contra a covid-19, com dispensa de licitação e regras mais flexíveis para contratos. Após passar pela Câmara dos Deputados, o texto foi aprovado pelo Senado Federal na semana passada.

Segundo o texto, estados e municípios poderão comprar, sem licitação, vacinas e seus insumos necessários, contratar os serviços necessários, inclusive de vacinas ainda não registradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A medida também fixa o prazo de sete dias para a Anvisa decidir sobre a aprovação temporária de vacinas, mas o prazo pode chegar a 30 dias se não houver relatório técnico de avaliação de agência internacional aceita no Brasil.

O texto também aumenta o número dessas autoridades sanitárias estrangeiras que servem como base para autorização temporária de vacinas no país. Além das agências dos Estados Unidos, da União Europeia, do Japão, da China, do Reino Unido, do Canadá, da Coreia do Sul, da Rússia e da Argentina, o texto inclui as agências da Austrália e da Índia e demais autoridades sanitárias estrangeiras reconhecidas e certificadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Entre as medidas previstas, a MP, agora convertida em lei, autoriza o pagamento antecipado do produto ou serviço, inclusive com a possibilidade de perda desse dinheiro, hipóteses de não-imposição de penalidades ao contratado e “outras condições indispensáveis, devidamente fundamentadas”. Essas cláusulas serão consideradas excepcionais e caberá ao gestor comprovar que são indispensáveis para a compra da vacina ou contratação de serviço.

A MP vai ao encontro do entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte permitiu aos entes da Federação a compra e distribuição de vacinas, caso o governo federal não cumpra o plano de imunização. Durante a cerimônia no Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro também sancionou o projeto de lei (PL) 534/2021, que autoriza estados, municípios e o setor privado a comprarem vacinas contra a covid-19 com registro ou autorização temporária de uso no Brasil. 

Dúvidas ou Sugestões

(VIDEO) Caminhão tomba entre Brusque e Guabiruba

Um caminhão tombou na Rua dos Imigrantes, bairro Imigrantes, quase na divisa entre Brusque e Guabiruba. O tombamento ocorreu na manhã desta quinta-feira (13). O caminhão tinha como carga um container, no qual estava sendo transportada certa quantidade de fios. O veículo, com placas de Itajaí, acabou ficando com a parte da frente destruída. O motorista estava no local quando a reportagem chegou e disse que não conseguiu vencer uma das curvas...
Continuar lendo...

Nas últimas 24 horas, 45 novos casos da doença foram registrados em Brusque

São 27.546 os casos confirmados de Covid-19 em Brusque desde o início  da pandemia do novo coronavírus. É o que demonstra o boletim epidemiológico divulgado na tarde desta terça-feira (27), pela Diretoria de Vigilância em Saúde. Nas últimas 24 horas, foram notificadas 45 novas ocorrências da doença no município. Do total de infectados, 26.602 pacientes estão recuperados. Há 647 casos ativos e 26...
Continuar lendo...

Danilo Rezini fala sobre as possibilidades do Brusque FC ter o seu estádio próprio

Na noite desta quarta-feira (11), o presidente do Brusque FC, Danilo Rezini falou sobre os pensamentos e iniciativas do Marreco para tirar do papel o estádio próprio. De início, Danilo comentou sobre o projeto Arena Havan não ter avançado. “Claro que é uma preocupação e uma prioridade do Brusque FC. Estamos buscando parcerias para a viabilidade da implantação de um estádio para o Quadricolor. Como todos sabem,...
Continuar lendo...