Secretaria pretende substituir cesta básica por cartão alimentação em Brusque

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Brusque deve implementar um sistema de cartão alimentação, substituindo as cestas básicas. A informação foi revelada hoje (2) pelo responsável pela pasta, Jocimar dos Santos de Lima em entrevista à Rádio Cidade.

Jocimar disse que conta com autonomia para comandar a secretaria e que seu principal objetivo é dar dignidade às famílias e pessoas. Ele explicou os motivos porque as cestas básicas serão substituídas por cartões de vale refeição em breve. “Às vezes víamos senhoras carregar cestas pesadas e se sentirem constrangidas. Uma fila de pessoas para carregar aquelas cestas, aquele sofrimento todo. Com o vale, a pessoa pode ir ao mercado e escolher o que ela quer comprar. Nesse mês de janeiro, foram concedidas 954 cestas. O volume e a logística para armazenar tudo isso é enorme, sem contar que esses alimentos não podem ficar muito tempo armazenados”.

O valor do cartão será de R$ 137, o mesmo da cesta básica. Com esse benefício, o usuário poderá adquirir alimentos de forma gradual e de acordo com sua necessidade. Cidades como Blumenau foram tidas como referência para que essas alterações ocorressem. Serão confeccionados dois tipos de cartão: um emergencial, que pode demorar até 20 dias para chegar e um provisório, que já será retirado no mesmo dia do cadastro. Com esses cartões, não será possível comprar bebidas alcoólicas e cigarros. Caso essa restrição for burlada ou fraudada, a pessoa será automaticamente descredenciada e perderá o direito ao benefício. O vale também não dá direito à aquisição de produtos de higiene, condição que o secretário discorda. “Toda família precisa de um sabonete, uma pasta de dente, um detergente para lavar a louça. Infelizmente, a lei federal não nos permite. Ao menos, as pessoas poderão escolher o que querem comprar”, reforçou.

A revalidação dos cartões será feita todo mês, após um processo de comprovação da necessidade do uso. “A maioria solicita porque realmente precisa”, disse Jocimar.
De acordo com o secretário, a empresa que vencer a licitação terá que credenciar um determinado número de comércios para que o benefício seja utilizado. “Queremos que aqueles comércios menores, de bairro, possam também oferecer esses alimentos e as pessoas tenham mais opções”, concluiu.


 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões