Relatório mostra dados de atuação da PM na região de Brusque

A Polícia Militar divulgou um relatório sobre a atuação do 18º BPM, que compreende as cidades de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Gaspar e Ilhota, quanto ao trabalho em e a produtividade nestas cidades. Entre os itens constam dados sobre combate ao tráfico de drogas, número de homicídios, roubos, furtos, entre outros em um comparativo das ocorrências de 2020 com o ano anterior, 2019.

O número de ocorrências atendidas cresceu 1,13% de um ano para o outro. Foram 247.624 mil na cinco cidades em 2019, saltando para 252.545 mil em 2020. Em Brusque, maior delas, o crescimento foi maior, de 2,14%, passando de 9.620 mil em 2019 para 9.826 no ano seguinte.

Os dados mostram, por exemplo, que houve redução na quantidade de roubos, que é quando o criminoso leva algo da vítima sob ameaça. A queda foi de 37,88% de um ano para o outro na cidade de Brusque:  passaram de 66 em 2019 para 41 em 2020.

Da mesma forma, houve redução de 31,67% nos crimes de furto (de 521 para 326), de 8,18% violência doméstica (489 para 449), de menos 8,33% nas tentativas de homicídios (12 para 11) e 9,82% nos de posse de drogas (275 para 248).

Por outro lado, os dados mostram aumento nas seguintes ocorrências: perturbação (56,19% - de 1.527 para 2.385), armas apreendidas (46,67% - de 15 para 22) e mortes no trânsito (5,26% - de 19 para 20).

O comandante da PM, tenente-coronel Otávio Manoel Ferreira Filho, acredita que a elevação no número de casos de perturbação, de mais de 50%, está relacionada com a pandemia. Isso porque muitas pessoas resolveram descumprir os decretos que proibiam reuniões e festas e foram denunciados.

“Não tenho medo de afirmar que a sua imensa maioria tem a ver com as regras da pandemia. Aquele contexto, que até então ninguém dava bola, dez ou vinte pessoas se reuniam numa casa para assar uma carninha e tomar uma cerveja, desde que não colocasse som muito alto não havia problema nenhum com a pandemia passou a ser problema”, pontua ele.

Chama atenção, ainda, nos dados, o aumento no número de prisões por tráfico de drogas em 24,59% e de apreensão de armas de fogo em 46,67%. No caso do primeiro, o comandante da PM afirma que a ação se deve ao combate firme que foi implementado a este tipo de crime por parte da PM. Ações que fazem com que o tráfico de drogas de grande porte acabe não se consolidando.

“Os locais de vendas de entorpecentes na cidade são pequenos. Quando começa a querer aparecer, vamos lá e derrubamos. Então, ele não chega a ser expressivo”, comenta o policial.

Na foto anexo, você confere a relação de todos os dados da atuação da PM nas cinco cidades que integram o 18º BPM.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões