Números mostram necessidade de UTI neonatal em Brusque

A necessidade de uma UTI Neonatal na cidade de Brusque se mostra pelos números. Somente no Hospital de Azambuja foram 1.866 partos realizados ao longo de 2020. Destes, 393 apresentavam necessidade de atendimento especial e 68 tiveram que ser transferidos para hospitais de outras cidades do estado.

Segundo o médico Eugênio José Paiva Maciel, diretor técnico do Hospital de Azambuja, além dos problemas nos próprios bebês, as mães também requereram atenção especial dado risco da gestação. Eram pacientes hipertensos, diabéticos, com risco de complicações de sangramento, entre outros.

“Estamos falando de seres pequenos e uma mãe. Estamos falando de dois seres humanos ao mesmo tempo”, comenta o médico.

Ao longo do ano passado, nasceram quase seis bebês (5.11) por dia na cidade de Brusque. Dos 1.866 partos, 1.485 foram via Sistema Único de Saúde (SUS).

Serão 10 leitos para UTI Neonatal, que será implementada ainda este ano. O espaço contará com vários equipamentos, como bombas de infusão, oxigênio, ar comprimido, equipe multidisciplinar. A equipe médica e auxiliar que vai atender. “A notícia boa é que a verba saiu e este ano inauguramos. A equipe já está preparada”, destaca Eugênio.

Desde o ano passado, a equipe do hospital está realizando o acolhimento das gestantes através da Rede Cegonha. A ideia é fazer com que os nascimentos ocorram através do parto normal.

“É o colhimento dessa gestante, fazer o centro de parto normal. Está se voltando ao natural. Já fizemos tanto parto cezária que as pessoas acham eu o parto cezaria é o normal. Não, parto normal é o natural”, destaca ele.

A instalação de uma UTI Neonatal no Hospital de Azambuja foi anunciada no final de dezembro. A estrutura é fruto de recurso enviado pelo governo do estado, através de emenda parlamentar do ex-deputado Serafim Venzon.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões