Secretário de Saúde avalia estágio da pandemia e anuncia medidas para redução de filas no Centro de Triagem

O secretário de Saúde Humberto Fornari realizou na tarde desta quarta-feira (18) uma avaliação sobre o estágio atual da pandemia de Coronavírus (Covid-19) em Brusque (SC). No novo relatório do Governo do Estado, a classificação do município permanece como risco Grave.  

Sobre os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o secretário avalia que no cenário atual os casos que necessitam desse tipo de internação estão aumentando. “Hoje 60% dos leitos UTI Covid estão ocupados”, frisa. 

Segundo Fornari, dos 22 leitos destinados ao atendimento de pacientes Covid, 12 estão habilitados e os outros 10 ativos. “Isso quer dizer que nós temos 22 leitos prontos para atender a nossa população SUS. O que falta é ser definido se o pagamento será via governo federal ou estadual, que são os dois grandes responsáveis por essa demanda. Ou se isso, mais uma vez, vai recair no colo do município. Mas essa discussão é administrativa, na qual eu acredito que a população não pode sofrer nenhum tipo de pressão”, explica.  

Referente a classificação no Risco Grave, o secretário destaca que não há o que se modificar do ponto de vista de padrão de comportamento da população no comércio, restaurantes e afins. “O que seria importante, e que sempre ressaltamos, é a não aglomeração, o distanciamento interpessoal, e, principalmente, usar máscara e higienizar as mãos constantemente com água e sabão. Se não conseguir dessa forma, passar o álcool em gel de maneira mais frequente”, frisa. 

Segunda onda da doença

Para Fornari, a expectativa é que esse segundo surto de Covid-19 continuará por mais seis semanas. “A grande vantagem que estamos tendo na nossa cidade é o protocolo medicamentoso, que está nos trazendo uma grande mudança no perfil de evolução da doença. Ou seja, a doença está se mostrando menos agressiva do que na primeira onda”, comenta. 

O secretário destaca o número de atendimentos do Centro de Triagem, que cresceu muito nos últimos dias. “Ontem nós tivemos um número máximo de atendimento, que foi 1.600 pacientes numa semana. O número de pacientes que estão aguardando o resultado já ultrapassa 700 pessoas. Nem por isso, o número de pacientes que necessita de internação hospitalar está se mostrando igual ou próximo daquilo que a gente visualizou em julho e agosto. Estamos satisfeitos com as respostas que os protocolos medicamentosos estão nos trazendo”, comemora.

No que se refere às filas do Centro de Triagem, ele explica que a Secretaria de Saúde trabalha em um estudo para averiguar a possibilidade de transformar algumas Unidades Básicas de Saúde em Unidades Referência na cidade, para o Covid-19. 

“Na próxima semana, acreditamos que teremos algumas unidades especificamente  distribuídas pela cidade também exclusivamente para atendimento Covid. Exatamente para que não haja cruzamento entre pacientes sintomáticos respiratórios, com outros pacientes crônicos e idosos. Justamente o que procuramos evitar desde o início da pandemia”, conclui.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões