Autor de assassinato em 2018 é condenado a 36 anos de prisão

Foi realizado nesta sexta-feira (16) o Júri Popular de Luciano Barbosa Santos, o Negão 157. Ele foi condenado a 36 anos, cinco meses e vinte dias de reclusão, em regime inicial fechado, pelo crime de homicídio duplamente qualificado, pelo motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Também pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico com envolvimento de adolescente, e de integrar organização criminosa armada.

O homicídio aconteceu no dia 24 de novembro de 2018, em um sábado, por volta das 16h, na rua Cristiano Haubertz, no Bairro Holstein, em Guabiruba, onde o condenado residia com a vítima, de 19 anos, e seu afilhado.

Conforme informações da justiça, Negão 157 chegou em casa e viu a vítima no quarto com a sua companheira, uma adolescente de 17 anos, conversando, com uma arma na mão. Momento em que ele pediu a arma para o afilhado para olhar e atirou na cabeça da vítima.

Após a polícia deter e conduzir o denunciado até a Delegacia de Polícia Civil, os policiais receberam informações de que na residência onde os fatos aconteceram havia droga escondida, razão pela qual diligenciaram ao local e apreenderam 145 pedras de substância conhecida como "crack". O produto pesava cerca de 31,2 gramas, um torrão de substância semelhante à "maconha", pesando cerca de 29,8 gramas, dois cadernos contendo anotações do tráfico de drogas.

No local havia uma carta, três aparelhos de telefone celular, uma balança de precisão e uma munição deflagrada de munição calibre 32.

O júri teve início nesta sexta-feira às 8h30 e finalizou as 19h. A defesa do acusado foi promovida pelo defensor público Valentim Hodecker Júnior. Atuou como representante do Ministério Público a promotora Susana Perin Carnaúba.

O condenado teve negado o direito de recorrer em liberdade, mantendo-se a prisão preventiva anteriormente decretada.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões