Investigação descobre e prende criminosos da "Sextorsão"

A Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Itajaí, elucidou crime de extorsão acerca do conhecido golpe da ¨sextorsão¨/¨nudes¨.  Com o apoio da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos do DEIC do Rio Grande do Sul, cumpriu mandados de busca e apreensão na região metropolitana de Porto Alegre e na Penitenciária de Charqueadas, também no estado gaúcho. Um envolvido no golpe foi preso preventivamente. O assunto foi tema de reportagem divulgada aqui no site da Rádio Cidade.

Segundo apurado no procedimento investigativo, os criminosos criam perfis falsos (fakes) de garotas nas redes sociais e, a partir daí, passam a adicionar homens, na maioria das vezes de meia idade, e começam a trocar mensagens eróticas com eles.

Durante as conversas, que são realizadas através do bate-papo dos aplicativos e também pelo Whatsapp, são trocadas fotos íntimas (nudes) entre a suposta garota e as vítimas, que são a todo tempo enganadas pelos autores do crime.

Posteriormente, já de posse da foto da vítima, os golpistas entram em contato e se apresentam como pai da suposta garota, ou policial, e informam que a menina seria menor de idade. Eles exigem dinheiro em troca de não registrar a ocorrência (no caso do suposto pai), ou ¨arquivar¨ a denúncia (no caso do suposto policial).

Caso a vítima não deposite a quantia em dinheiro exigida pelos criminosos, eles ameaçam expor toda a conversa aos familiares das vítimas, que acabam efetivando os depósitos.

Após a reunião dos elementos informativos e de provas, foi possível apurar que toda a trama criminosa partiu de dentro do sistema penitenciário de Charqueadas (RS). Um detento, em conluio com sua esposa, aplicava o referido golpe, o qual acabou por vitimar ao menos oito vítimas em Itajaí.

Nesta quinta-feira (1), a polícia cumpriu mandados de busca e apreensão, localizando, no interior da penitenciária, diversos aparelhos celulares em posse dos detentos, bem como certa quantidade de droga (crack).

Um homem envolvido no crime foi preso preventivamente. A mulher, até o momento, não foi localizada e segue foragida da Justiça. Eles deverão ser indiciados pelo crime de extorsão.

O inquérito policial deverá ser concluído no prazo de 10 dias e remetido ao Poder Judiciário.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões