Policial relata detalhes do crime bárbaro em Canelinha

Um crime com requintes de barbárie e muita crueldade. É o que apontam as primeiras informações coletadas sobre a morte da jovem Flavia Godinho Mafra (24), encontrada sem vida na manhã desta sexta-feira (28) em Canelinha. Grávida de 36 semanas, ela foi morta e o bebê tirado de sua barriga. Um casal conhecido da vítima está preso e a criança viva, hospitalizada.

O sargento Alcir Boaventura, da Polícia Militar de Canelinha, disse esta manhã que a situação começou a se desenrolar ainda na noite de ontem, quinta-feira (27). Por volta de 21h, o Hospital de Canelinha acionou a PM, informando que uma mulher deu entrada na unidade e disse que tinha rompido a bolsa da gestação. Isso teria ocorrido pelas 17h e, apavorada, ela pediu ajuda a três outras pessoas, sendo que um delas ajudou no parto.

O médico que a atendeu suspeitou, já que não havia sinais de ferimentos ou algo semelhante em função do parto. Além disso, o bebê apresentado tinha vários pequenos cortes pelo corpo, o que aumentou ainda mais as suspeitas. "Cortes até profundos, tinha muito sangue”, disse.

Com isso, o médico transferiu o bebe para o hospital em Florianópolis, acompanhado do suposto pai da criança. Pela manhã de hoje, sexta-feira, uma informação chegou à PM, de que havia sido achado um corpo em um terreno de uma olaria, no bairro Galera. Uma viatura se deslocou para a região e confirmou ser o corpo de Flávia.

O policial afirmou que o homem foi preso em Florianópolis, quando tentou retirar o bebê do hospital. A mulher, presa em Canelinha, era conhecida da vítima e teria, inclusive, organizado um chá de bebê.

“Com essa minha experiência e idade, 32 anos de polícia, não teve nenhum crime que me comoveu tanto quanto esse dessa jovem”, disse o policial emocionado.

Flavia desapareceu na tarde de ontem. Ela teria ido a um chá bebê de uma conhecida e não mais foi vista. Ainda durante a noite, família e amigos começaram a divulgar o pedido de socorro para tentar localizar ela. Nas primeiras horas da manhã de hoje chegou a informação de que ela havia sido localizada sem vida.

Flavia tinha 24 anos e era professora n cidade de Canelinha.

Esta tarde, a Polícia Militar de Tijucas, à qual está subordinada a corporação de Canelinha, vai se reunir com a imprensa para dar detalhes do que se apurou do crime.

A entrevista do sargento Boaventura foi concedida ao jornalista Marciano Machado, do Portal Olho Vivo Can, de Canelinha.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Júri condena dois homens por chacina em hotel na Capital

Após 18 horas de sessão, na madrugada desta quarta-feira (16), o Tribunal do Júri da Comarca da Capital condenou dois homens pela chacina de cinco pessoas, sendo uma família de quatro pessoas com um autista, em um hotel de Canasvieiras, em Florianópolis, a um total de 150 anos. Um dos réus foi condenado a 82 anos, um mês e 24 de reclusão, em regime fechado. Já o outro réu foi sentenciado a pena de 68 anos, seis meses e 14...
Continuar lendo...

Projeto realiza campanha para arrecadar cadeiras de rodas para idosos

Pra quem conhece o trabalho dos voluntários do Projeto Sonho em Viver, sabe que já é uma tradição à realização de sonhos. Mas em meio aos sonhos, surgem às necessidades dos locais atendidos pelo projeto. Entre elas, a aquisição de quatro cadeiras de rodas para os asilos, duas normais e duas de tamanho especial.    “Os asilos possuem várias necessidades, entre elas, quatro cadeiras para...
Continuar lendo...

Mulher em surto coloca fogo nas suas pernas e tem 46% do corpo queimado, em Brusque

Na manhã desta quinta-feira (14) por volta das 10h24min os Bombeiros foram acionados na Rua Paulo Imhof, no bairro São Luiz, em Brusque para atender uma ocorrência de surto e queimadura térmica. No local a guarnição se deparou com uma mulher, 48 anos, em surto e com 46% do corpo queimado, atingindo principalmente os braços e pernas, e as partes intimas. Todas queimaduras de primeiro, segundo e terceiro grau. Conforme familiares, ela tem...
Continuar lendo...