Justiça nega pedido de homem que não quer usar máscara em público

A justiça negou liminar pleiteada por um morador de Criciúma, no Sul do estado, que quer circular livremente sem máscaras. Ele alegou ilegalidade e inconstitucionalidade das normas municipais que obrigam o cidadão a transitar com máscara protetiva, sob pena de multa. A decisão ocorreu em análise de um mandado de segurança.

Ao indeferir a liminar, o juíz fez uma detalhada fundamentação dos riscos individuais e coletivos da exposição sem a devida proteção no atual cenário de pandemia da Covid-19.

De acordo com o magistrado, vive-se um momento de exceção em escala planetária, sendo a máscara não somente um acessório de proteção individual, mas primordialmente de proteção do outro. A decisão também aponta que os limites da liberdade encontram-se na liberdade de os outros não quererem ser expostos ao vírus, além de que as normas em vigor - federais, estaduais e municipais - impõem-se a favor da saúde pública. O iminente esgotamento dos leitos do SUS e os demais fatores regionais, destacou o juízo, impuseram aos gestores a necessidade de medidas drásticas e radicais, competindo a todos o dever de respeitá-las e cumpri-las, preservando a saúde de um e de todos.

Na decisão, o juiz disse que não há qualquer ilegalidade ou inconstitucionalidade no exercício do poder de polícia por parte do gestor e a imposição de multa obedece a todo um cabedal de normas destinadas a este momento trágico da história humana, diz a decisão.

"Considerando que o impetrante requereu a gratuidade judiciária, o juízo destacou como razoável imaginar que, caso fosse contaminado, ele eventualmente dependeria do tratamento pelo SUS, com as limitações naturais de um sistema de saúde pública. Ainda que superasse a doença de forma assintomática ou com sintomas leves, também se converteria em transmissor potencial para outros que poderiam não ter a mesma sorte. O resultado letal da doença, alerta o despacho, é apenas uma das possibilidades reais, havendo situações em que restam ao paciente sequelas com limitações funcionais de toda sorte, inclusive entre os mais jovens", pontuou.

"Recomenda-se, pois, ao impetrante que use a máscara", finalizou o juízo. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Prefeitura de Botuverá recebe minicarregadeira para reforço da frota

Foi entregue na manhã desta quinta-feira (13) uma minicarregadeira New Holland para a Prefeitura de Botuverá. O prefeito José Luiz Colombi recebeu o chefe de gabinete do deputado federal Rogério Peninha Mendonça, Rafael Pezenti, que representou o parlamentar na entrega oficial do maquinário. O equipamento multiuso pode auxiliar em serviços de limpeza, retiradas de entulhos, demolições, terraplanagem, carregamento de terra,...
Continuar lendo...

Policiais militares são promovidos no 18º BPM Brusque

A terça-feira (11) foi de solenidades de promoções na Polícia Militar de Santa Catarina. O 18° Batalhão de Polícia Militar, com sede em Brusque e do qual fazem parte as cidades de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Gaspar e Ilhota, também teve policiais agraciados. Ao todo, quatro deles receberam promoções e avançaram na carreira. São eles: Em Brusque graduação de subtenente, o 1°...
Continuar lendo...

Covid-19: R$ 1,4 milhão federal para leitos de UTI chega a Brusque

A Prefeitura de Brusque realizou nesta quinta-feira (30) o repasse de R$ 1.440.000,00 milhão para o hospital de Azambuja. O recurso se refere ao custeio do governo federal aos dez primeiros leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) credenciados para atendimentos a pacientes com Covid-19, habilitados por 90 dias, em 3 de julho.  Além do Azambuja, outros onze hospitais catarinenses foram beneficiados, totalizando um repasse para o estado de mais de R$ 16...
Continuar lendo...