Reunião define ações de fiscalização aos aglomeros

Na tarde desta terça-feira (14) foi realizada na Prefeitura de Brusque uma reunião para tratar sobre a fiscalização das medidas de enfrentamento a pandemia de Coronavírus (Covid-19). Além de representantes do Poder Público Municipal, participaram representantes da segurança Pública. 

É consenso entre todos, que antes de multar é necessário orientar os cidadãos.  Nos próximos dias, a Secretaria de Saúde vai definir todos os detalhes sobre as medidas de fiscalização, que contará com apoio das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da Guarda Municipal. 

O subcomandante do 18° Batalhão de Polícia Militar (18º BPM) de Brusque, major PM Ciro Adriano da Silva reitera o apoio da corporação as equipes da Prefeitura, no cumprimento dos Decretos Municipais. “Temos acompanhado que vem piorando a situação de ocupação de leitos, então vamos dar esse resguardo para os prefeitos poderem fazer seu trabalho. A Polícia Militar também é incumbida de fazer fiscalização, autoridade sanitária para fiscalização contra a Covid-19. Toda a parte de prevenção ajuda mais do que a repressão. Quanto mais conscientizar e orientar as pessoas, melhor será o resultado”, declara. 

A Polícia Civil também é parceira do município na fiscalização das medidas adotadas. De acordo com o delegado da Comarca, Fernando Luís de Farias, todo apoio necessário será prestado para que o órgão de fiscalização da Prefeitura, na fiscalização tanto dos Decretos Municipais quanto Estaduais. “Vamos integrar as barreiras sanitárias e faremos também fiscalização dos estabelecimentos comerciais nesse primeiro momento. O descumprimento dos Decretos Sanitários configuram crime e esses crimes são apurados pela Polícia Civil”, afirma. 

Segundo o comandante da 3ª Companhia do Corpo de Bombeiros de Brusque, capitão Jackson Luiz de Souza, assim como a PM e a Polícia Civil os bombeiros também foram designados pelo Governo do Estado como autoridade sanitária. “Nesta reunião ficou muito claro que cada um tem que fazer sua parte. Estamos auxiliando a Prefeitura nesse sentido.  Vamos apoiar na fiscalização. Claro que o objetivo primeiro é orientar o cidadão, pois não é só cobrar dos órgãos públicos que eles façam sua parte. Esse é o momento que todos tem que fazer sua parte, seguir todas as recomendações sanitárias, de isolamento, de uso de máscara, de não aglomeração em locais públicos. Enfim, tudo que já foi muito bem batido e cobrado pelas autoridades”, frisa. 

“Nós também, se precisar, vamos intervir, interditar se for necessário, multar e fiscalizar em paralelo a isso as indicações no tocante da segurança e questões de alvará”, acrescenta.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões