Mensagens que levam caso ao STJ são ilações, diz Moisés

A justiça de Florianópolis enviou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) o inquérito sobre a compra dos respiradores pelo governo do estado ao custo de R$ 33 milhões, que está sob investigação por suspeita de fraude. O motivo é de que a apuração dos investigadores apontou que pode ter havido participação direta do governador Carlos Moisés. Por conta disso e por ele ter foro privilegiado em razãop de ser governador, o caso foi enviado ao tribunal.

O juiz Elleston Lizzandro Canalli, da vara criminal de Florianópolis, decidiu que pelo fato de o governador ter sido citado no decorrer da apuração dos fatos, tudo relacionado ao processo deve ser encaminhado ao STJ. Conversas de outras pessoas investigadas no caso mencionam o governador, o que o colcoa, pela primeira vez, na linha direta das suspeitas.

Esta tarde, durante entrevista coletiva com jornalistas, o governador negou qualquer envolvimento no caso. Ele disse que as mensagens não passam de ilações, pois sequer mencionam o nome dele. Moisés disse, ainda, achar estranho o teor das mesmas.

Para o governador, o assunto será usado politicamente para atingir o governo.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões