Perigo, barulho e obra inadequada incomodam moradores

Perigo e barulho. Essas são duas palavras com as quais moradores da Rua Guilherme Alberto Frederico Hoeffelmann, no bairro Rio Branco, em Brusque vêm convivendo nos últimos tempos. Tudo por conta das más condições da via que, segundo moradores, estão tirando a tranquilidade e a paciência de quem ali reside.

É o caso da moradora Isolde Kuckembcker. Ela afirma que a velocidade dos carros é alta e isso torna perigoso, inclusive, de os pedestres andarem com segurança nas calçadas. Além disso, muitos buracos e desníveis têm, tornado difícil quando passam, por exemplo, caminhões pesados.

“A Prefeitura veio, remendou toda a rua e nunca terminou. Não conseguimos ter sossego. São caminhões batendo nos buracos e não há quem aguente”, disse ela à reportagem da Rádio Cidade.

Instalação de lombadas físicas para reduzir a velocidade é um dos pedidos feitos pelos moradores. Além disso, eles pedem o alargamento da via. Isso porque o espaço não permite segurança até para quem buscar sair dos imóveis com carro. A garagem da casa da dona Isolde, por exemplo, foi mudada de local porque não dava para ter visão dos veículos.

Outra reclamação feita por ela e que seria dos demais moradores da via é sobre uma ponte construída nas proximidades. Para Isolde, a estrutura se encontra em local inapropriado.

O secretário de Trânsito e Mobilidade, Renato Bianchi, disse que há um projeto de alargamento da via na Prefeitura, mas que aguarda informações do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI). 

Ele admite que a ponte está construída de forma inadequada, mas responsabiliza governos anteriores por isso.

“Não sei quem resolveu fazer uma ponte naquela rua sem estrutura”.

Segundo ele, há a necessidade de que alguns terrenos sejam desapropriados em parte  que a via seja alargada.

Com informações de Camila Costa.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões