Hospital lamenta negativa do governo por mais UTIs

O hospital Azambuja (Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux) recebeu na terça-feira (5) a notícia sobre sua solicitação encaminhada ao governo do estado no início do mês de abril para o credenciamento de dez novos leitos de UTI. O pedido foi indeferido. De acordo com tabela encaminhada, na qual consta a relação de diversos hospitais de Santa Catarina, parte deles que foi atendida com mais leitos.

O administrador do hospital Azambuja, Evandro Roza, lamenta a decisão. “Recebemos esta notícia em um grupo de administradores de hospitais do qual participamos e também a lista para onde foram estes 10 leitos de UTI, que foram motivo de solicitação de outros hospitais além do Azambuja. O Hospital Marieta, em Itajaí, foi contemplado com 40 leitos; o Santo Antônio e Santa Isabel, ambos de Blumenau, com 10 leitos cada um; o hospital de Rio do Sul também com 10 leitos. Infelizmente não fomos contemplados e lamentamos, principalmente por não sabermos quais critérios foram analisados para esta distribuição por parte do Governo do Estado”, ressalta.

Para Roza, a região de Brusque é muito importante, reunindo mais de 250 mil habitantes se somados os municípios de Guabiruba, Botuverá, Nova Trento, São João Batista e Canelinha, por esta razão o pedido de credenciamento de novos leitos.

Ele reconhece ainda todo reforço que o hospital teve da Secretaria Municipal de Saúde e da Associação Empresarial de Brusque e demais entidades de classe do município, que reiteraram em ofício ao governador Carlos Moisés da Silva, a solicitação de novos leitos de UTI para o Azambuja.

“Reconhecemos e agradecemos todo apoio que recebemos nesta solicitação. Vamos permanecer com nossos trabalhos em prol da comunidade. Caminhamos para realmente aumentarmos a quantidade de leitos que temos, isto já é um projeto do hospital e vamos dar sequência na busca de equipamentos e na obra física necessária. Sempre foi um anseio do hospital uma segunda UTI para os pacientes que necessitam de um tratamento intensivo. Tínhamos a expectativa de que isso pudesse acontecer neste momento de pandemia, mas não fomos contemplados”, enfatiza Roza.

Vale lembrar que com a negativa do Governo do Estado, Brusque ficou com apenas um leito de UTI credenciado de forma exclusiva para pacientes com Covid-19. 

Saiba Mais

O Hospital Azambuja encaminhou no dia 7 de abril, ofício à Secretaria Municipal de Saúde, solicitando o credenciamento junto ao Governo do Estado, de 10 novos leitos de UTI. O pleito foi realizado a fim de garantir estrutura aos casos mais complicados de tratamento de Covid-19, que possam surgir no município e região. Atualmente a instituição possui 10 leitos de UTI, sendo que um deles está reservado para tratamento de paciente diagnosticado com o novo coronavírus.

Os 10 novos leitos de UTI seriam instalados em uma área de internação cirúrgica do Hospital Azambuja.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

60 novos casos de Covid-19 são confirmados em Brusque

Os números relacionados à pandemia de Coronavírus (Covid-19) em Brusque tiveram acréscimo de 60 novos casos nas últimas 24 horas. Nesta terça-feira (18), a cidade conta com 4.126 mil casos positivos da doença, sendo que, no momento, há 350 ativos. São investigados 299 casos e 1.258 mil pessoas são monitoradas em suas residência. Ao todo estão recuperadas 3.730 mil pessoas e dez estão internadas na...
Continuar lendo...

Tentativa de cortar árvore quase acaba em tragédia

A tentativa de cortar uma árvore não acabou bem para um homem de 43 anos, no bairro Planíce Alta, em Guabiruba. Na tarde desta quarta-feira (27), ele precisou ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao hospital. Ele acabou sendo atingido pela queda da mesma. O acidente ocorreu por volta de 16h50, segundo os bombeiros. O helicóptero Arcanjo foi acionado para agilizar o socorro, apesar de que a aeronave não precisou ser utilizada. O homem foi...
Continuar lendo...

Meninas menores de 11 anos são as maiores vítimas em Brusque

A cidade de Brusque possui, atualmente, em torno de 40 crianças e adolescentes recebendo tratamento por conta de abusos e violência sexual. Elas integram o grupo que tem atenção do Serviço de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência Sexual (SAVS). A maioria dos casos é de meninas menores de 11 anos de idade. O número assustador faz parte de levantamento feito pelo órgão, que...
Continuar lendo...