Câmara aprova auxílio de R$ 600 por mês para trabalhador informal

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600,00, destinados aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus. A matéria segue para análise do Senado. 

Pelo texto do relator, deputado Marcelo Aro (PP-MG), o auxílio pode chegar a R$ 1.200 por família. O valor final, superior aos R$ 200 anunciados pelo Executivo no início da crise em virtude da pandemia, foi possível após articulação de parlamentares com membros do governo federal. O projeto prevê ainda que a mãe provedora de família “uniparental” receba duas cotas. 

Os trabalhadores deverão cumprir alguns critérios, em conjunto, para ter direito ao auxílio:
- ser maior de 18 anos de idade;
- não ter emprego formal;
- não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;
- renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00); e
- não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70.

Pelo texto, o beneficiário deverá ainda cumprir uma dessas condições:

- exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI);
- ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS);
- ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); ou
- ter cumprido o requisito de renda média até 20 de março de 2020.

Pelas regras, o trabalhador não pode ter vínculo formal, ou seja, não poderão receber o benefício trabalhadores formalizados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e servidores públicos. 

Pela proposta, também será permitido a duas pessoas de uma mesma família acumularem benefícios: um do auxílio emergencial e um do Bolsa Família. Se o auxílio for maior que a bolsa, a pessoa poderá fazer a opção pelo auxílio. O pagamento será realizado por meio de bancos públicos federais via conta do tipo poupança social digital. Essa conta pode ser a mesma já usada para pagar recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas não pode permitir a emissão de cartão físico ou cheques.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Bandidos arrombam casa, levam cofre e carro da família

Uma residência foi invadida, revirada e o carro da família levado no final de semana em Brusque. O caso aconteceu no bairro Jardim Maluche, segundo chamado feito à Polícia Militar. De acordo com o chamado, feito por volta de 16h de domingo (17), o proprietário chegou no imóvel, quando percebeu que o carro não estava na garagem. Trata-se de um Mercedez Benz GLA 200. Ao entrar na casa, ele notou que tudo estava revirado. No local, faltavam,...
Continuar lendo...

Colisão entre quatro motos e um carro mata duas pessoas

Um acidente envolvendo um carro e quatro motocicletas terminou com as mortes de duas pessoas na manhã deste domingo (17) na BR-470, região de Lontras, no Alto Vale. Dois homens, um de 32 anos e o outro de 24, morreram. O primeiro no local e o segundo no hospital. De acordo com as informações da Polícia Rodoviária Federal, o homem de 32 anos de idade conduzia uma Honda CB 500, com placa de Ibirama. Já a outra vítima fatal, de...
Continuar lendo...

Ladrão furtava ar condicionado e foi flagrado pela PM

Por volta das 10h de ontem, quarta-feira (22), uma guarnição da Policial Militar deslocou até a Rua Ernesto Appel, no Bairro Azambuja, em Brusque. O objetivo era  para atender ocorrência de acidente e furto. Ao chegar ao local, a equipe constatou que o um homem invadiu a residência, danificando a porta. Ele ainda furtou um aparelho de ar condicionado. Quando a vítima chegou ao local, o homem já estava colocando ao...
Continuar lendo...