Namorado suspeito de matar professora foi encontrado morto na prisão

O homem preso preventivamente suspeito de matar a diretora da escola Elenir de Siqueira Fontão, de 49 anos, foi encontrado morto na prisão na manhã deste domingo (23) em Florianópolis. A causa da morte não foi divulgada pelo Departamento de Administração Prisional (Deap) que informou em nota que "todas as providências legais e periciais foram tomadas".

A diretora, que trabalhava na Escola Estadual Januária Teixeira da Rocha, no bairro Campeche, em Florianópolis, foi assassinada a facadas dentro da unidade na tarde de quarta. O suspeito, ex-namorado da vítima, foi detido pela polícia logo após o crime. Ele estava com um ferimento no abdômen e marcas de luta corporal e foi levado ao hospital. Na saída da unidade hospitalar, foi autuado.

Geovano da Silva Agostinho foi preso em flagrante no dia da morte e na última quinta-feira (20) a prisão havia sido convertida em preventiva pela Vara do Tribunal do Júri de Florianópolis pelos crimes de feminicídio, tentativa de homicídio qualificado, cárcere privado e resistência.

Segundo o Deap, Geovano foi encontrado morto por volta das 6h na cela onde estava sozinho na Penitenciária de Florianópolis. O G1 não conseguiu contato com o Instituto Geral de Perícias para mais detalhes sobre a morte.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões