Acapra se manifesta sobre caso da gata jogada no riacho

Participou ao vivo da programação do Rádio Revista Cidade na manhã desta terça-feira (18) a vice-presidente da Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra), Daniely Melo que se manifestou sobre as acusações que a entidade tem recebido sobre o caso dos adolescentes que jogaram uma gata em um riacho.

Daniely explica que as informações do ato chegaram a Acapra através das redes sociais, denúncias. Um vídeo dos adolescentes jogando a gata, e outro onde aparece adolescentes dando bebida alcoólica. Sobre o segundo vídeo a vice-presidente explica que a polícia está investigando se as pessoas envolvidas são as mesmas, já o animal, é outro, então o fato não aconteceu no mesmo dia. “Através de pessoas que moravam perto também chegou a notícia que a gata estava prenha, o que não se confirmou após exames”, salientou ela.

Quanto a acusação de roubo da gata, Daniely disse que foi até a casa dos proprietários do animal e por diversas vezes tentou contato e ninguém recebeu. “Fomos até o local saber com ela estava, até então achávamos que ela estava prenha, e mesmo que não estivesse, o ato que ela passou poderia ter causado algum trauma. Chegamos lá, ela estava em um cercadinho na grama. Fomos com a polícia, chamamos os moradores, a casa estava aberta e a TV ligada, mas ninguém nos atendeu. A gata estava apresentando sinais de dores, bem recaída, vendo a situação, o policial autorizou que levássemos ao veterinário, só que não invadimos terreno nenhum, pegamos ela, e ela meio que desmaiou, dormiu no nosso colo, e levamos para o veterinário”, relatou a vice-presidente.

Daniely salientou que nada de mal foi feito. “Só nos preocupamos com o bem da gata, porque a gata foi jogada no riacho, foi feito um ato de maus tratos, e levamos ela para cuidados médicos, para termos um laudo sobre a situação real dela, e estão nos acusando de roubo, que a gente entrou na casa, o que não aconteceu, só pensamos no bem estar do animal”.  

Daniely ressaltou que a gata é bem cuidada pelos donos. “A gata apareceu no terrenos deles e eles acolheram ela, estavam cuidando, mas como ela tem acesso a rua aconteceu essa fatalidade, desses adolescentes jogarem no rio. Não divulgamos os nomes de ninguém, apenas buscamos fazer o melhor pelo animal”, concluiu ela.  

A gata segue na clíca passando por exames.

 

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões