Pedido de cassação é algo político, diz vereador

 

O vereador Paulo Sestrem (Patriotas) disse que reagiu a ataques feito por membros do governo e a ameaça de abrir processo de cassação de mandato contra ele. Tudo motivado por um vídeo feito por ele em mídias sociais, no qual acusa a Prefeitura de manter funcionários cadastrados na inexistente Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no Birro Santa Terezinha.

Em entrevista ao programa Rádio Revista idade de quinta-feira (6), Sestrem afirmou que a visita à UPA e deu a partir de informações repassadas a ele por servidores do setor de saúde da própria Prefeitura. Isso teria ocorrido por eles acharem estranho o local fechado e estar incluso no sistema do Ministério da Saúde, no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

“O CNES é um documento público. Até mesmo para dar transparência”, frisou ele.

A partir do que localizou no cadastro, Sestrem afirma que pediu informações ao Ministério da Saúde, que enviara resposta de que não exige cadastro prévio de servidores no sistema, o que derrubaria o argumento do governo.

Com a divulgação do referido vídeo, o vereador disse que passou a ser bombardeado por ações de membros do governo contra sua pessoa.

“Inclusive o vice-prefeito, colocando que estava desmascarando o vereador, que não é assim que se faz. (..) Como se eu estivesse fazendo um trabalho que não fosse de minha alçada”, pontua ele.

O vereador nega que tenha citado em qualquer momento que a Prefeitura tenha feito isso para busca de recursos federais. Para ele, o governo não deveria ter inserido informações sobre atos que não estão sendo executadas.

Sobre o pedido de cassação de mandato dele, conforme anunciado recentemente pelo governo, Sestrem afirma que essa postura denota que a ação é política.

“Foi o município e o secretário que entrou com o pedido de cassação. É algo político. É preciso deixar bem claro isso”, frisa ele, sobre a acusação de quebra de decoro parlamentar.

O vereador chama de “puxa-sacos” funcionários da Prefeitura que saíram em defesa do governo na questão do vídeo e as informações sobre a UPA.

Em relação à manifestação do Conselho Municipal de Saúde (Comusa), que abonou a explicação da Prefeitura sobre a questão da UPA, Sestrem disse que os argumentos utilizados foram infelizes. Principalmente sobre termo utilizado pelo presidente do órgão, Julio Gevaerd, que chamou de leviana a denúncia feita pelo vereador.

Sobre o possível pedido de cassação do mandato dele, Sestrem afirmou estar tranquilo.

“Estou tranquilo quanto a isso e vou aguardar os procedimentos para me manifestar”, acentua ele.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões

Homem morre em acidente em Tijucas

Por volta das 16h45 desta terça-feira (18), no Km 12,150 da rodovia SC410, no bairro Nova Descoberta, em Tijucas, ocorreu um acidente que resultou em uma morte. Trata-se de colisão frontal envolvendo um Fiat/Uno de Nova Trento e um caminhão Mercedes Benz 2726 de Tijucas. O condutor do Fiat/Uno, 52 anos, não resistiu os ferimento e faleceu, ele residia no município de Nova Trento. Conforme a Polícia Rodoviária, o condutor do Fiat/Uno...
Continuar lendo...

Botuverá também restringe acesso ao município

A Prefeitura de Botuverá emitiu Decreto que restringe o acesso de pessoas o interior do município. O documento, assinado pelo prefeito em exercício Alcir Merízio, tem data desta sexta-feira (20) e segue os mesmos parâmetros do emitido por Brusque ontem, quinta-feira (19). Pelo Decreto, ficam impedidos de entrar na cidade de Botuverá veículos e pessoas que não residam no município. Apenas os moradores da cidade que estiverem fora e...
Continuar lendo...

Boletim Coronavírus: Brusque segue sem nenhum caso confirmado

A Prefeitura de Brusque divulga novo boletim epidemiológico, na tarde deste domingo (22), que confirma que há quatro casos suspeitos de pacientes que estão sob análises. Desde o início da pandemia, 13 pacientes foram investigados e nove foram descartados. Outros 184 pacientes, que estiveram em viagens nos últimos dias (internacionais e nacionais), estão sendo monitorados em casa, com ou sem sintomas da doença. A maioria entrou em contato...
Continuar lendo...