Manifesto cobra pagamento de reajuste no piso dos professores

Um grupo de professores esteve na sessão de ontem, terça-feira (4), da Câmara Municipal de Brusque. Eles fizeram um manifesto, cobrando apoio dos vereadores para que a Prefeitura pague o valor anunciado pelo governo federal de 12,84% no piso salarial dos professores.

Ação semelhante já havia sido realizada na última quinta-feira (30), dentro da própria Prefeitura. Eles pedem que o percentual seja repassado imediatamente na folha. Pedido este reforçado através de cartazes e faixas durante a sessão ordinária.

Na tribuna, todos os vereadores que se manifestaram apoiaram o pleito. Na visão deles, é direito da categoria e o Executivo precisa cumprir com o que foi definido pelo governo federal. Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou, juntamente com o ministro da Educação, Abraham Weitraub, o aumento no valor do piso dos professores da educação básica. O montante passará de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.

Ontem, durante entrevista ao programa Rádio Revista Cidade, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Brusque, Guabiruba e Botuverá (Sinseb), Orlando Soares Filho, disse que a manifestação dos professores não seguiu o rito habitual e foi espontânea, sem a participação da entidade, que, legalmente, é quem negocia com a Prefeitura.

Ele disse que um grupo de WhatsApp foi criado com o objetivo de tratar da manifestação, espaço no qual incluíram seu número e de outros diretores do sindicato. Porém, considerou o ato de cunho político-partidário, devido a presença de pessoas ligadas a partidos políticos e que não integram o quadro da educação, além de familiares dos organizadores do protesto.

Ainda segundo Orlando, as tratativas sobre o pagamento do percentual de reajuste nos valores do piso serão feitas durante a negociação coletiva entre o sindicato e a Prefeitura, que já teve até reunião realizada na última semana.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões