Ações para reverter erro histórico serão intensificadas

Serão formalizadas duas ações, uma civil pública e outra popular, contra a lei federal 13.617/2018, que reconhece Santa Teresa (ES), como pioneira da imigração italiana no Brasil. A medida é liderada pela Associação dos Descendentes e Amigos do Núcleo Pioneiro da Imigração Italiana no Brasil (ADANPIB). Encontros em São João Batista e Brusque vão tratar dos encaminhamentos a respeito do assunto. Deles participam diversas lideranças políticas e do meio jurídico do estado.

Segundo o historiador Paulo Vendelino Kons, que coordena a movimentação, as ações em Brasília estão sendo tomadas de forma intensa para reverter a legislação e devolver o título à Colônia Nova Itália, no município de São João Batista, em Santa Catarina.

O procurador de justiça, professor e imortal da Academia Catarinense de Letras, Gilberto Callado de Oliveira, um dos fundadores da ADANPIB, e o senador Esperidião Amin, são dois que realizam nesta semana intenso lobby na capital federal para derrubar a lei.

Kons afirma que a colonização italiana no Espírito Santo ocorreu 37 anos e 11 meses após, a partir de 21 de fevereiro de 1874, quando o navio La Sofia chegou a porto de Vitória, com 388 camponeses de língua italiana do império austro-húngaro e vênetos.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões