Família de Delfim perde ação contra Federação Catarinense de Futebol

Os herdeiros do ex-presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim de Pádua Peixoto Filho, morto no desastre aéreo em 2016 com a delegação da Chapecoense, vão ter que pagar um milhão de reais de honorários advocatícios. Isso porque eles entraram na justiça para caracterizar vínculo empregatício, exigindo R$20 milhões da FCF, e perderam a ação.

Delfim foi eleito presidente da Federação em 1986. Foi contratado para exercer também a função de superintendente, com remuneração mensal de R$35 mil.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões