Programa de Combate a Dengue mantém atendimento durante as festas de final de ano

Com a chegada do verão os cuidados e a prevenção contra o mosquito Aedes Aegypti devem ser redobrados. Primeiro pelo calor propício da estação e, segundo, por conta do período de chuvas, que podem causar acúmulo de água em recipientes deixados a céu aberto. Visando manter o foco do trabalho, durante as férias coletivas da Prefeitura de Brusque, o Programa de Combate a Endemias está trabalhando com 50% do efetivo para monitorar as armadilhas, além de visitas em pontos estratégicos como cemitérios, borracharias e floriculturas. O trabalho de checagem e orientação em residências e comércios também estão sendo realizados.

Segundo a Coordenadora do Programa, Letícia Figueredo, em dias de chuva, os agentes realizam o Reconhecimento Geográfico (RG), atividade que é feita de automóvel em uma determinada região, onde os técnicos preenchem um boletim específico sobre a quantidade de imóveis. “Atualmente esse trabalho está sendo feito nos bairros Primeiro de Maio, São Pedro e Cedrinho. Já em Águas Claras, Guarani e Steffen, os moradores estão recebendo as visitas domiciliares. Solicitamos que a população que receba bem a equipe de combate a dengue e permita o acesso para a inspeção”, ressalta Letícia. 

Balanço de 2019

Brusque registrou este ano 580 focos do Aedes Aegypti. Entre os doentes, 82 casos suspeitos de dengue foram monitorados. Apenas 13 confirmados, sendo um deles que contraiu a doença no município. Os demais foram de pessoas que estiveram em outras cidades ou estados. Em relação a Febre Chikungunya, foram 19 casos suspeitos, com quatro confirmações, também importados. A cidade não registrou nenhum caso positivo de Zica Vírus, uma das três doenças transmitida pelo mosquito. 

“Além de todo o cuidado de não deixar água parada, realizar manutenção em calhas, caixas de água e manter os terrenos limpos, a proximidade de Brusque com outros municípios que já sofreram com o surto de mosquitos e de doentes, coloca a cidade em alerta quando o assunto é a dengue e, as demais doenças transmitidas pelo Aedes. Quero reforçar o pedido a população, para que juntos possamos vencer esta batalha”, enfatiza Letícia Figueredo.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões