Criação de cargo gera divergência na última sessão do ano em Guabiruba

O projeto de Lei Ordinária 40/2019 do Executivo que altera a Lei 1.573/16 e cria o cargo de provimento em comissão de assessor de publicidade gerou divergências na Câmara de Guabiruba durante a última sessão do ano realizada na terça-feira (18). Em votação com regime de urgência ele foi aprovado por cinco votos favoráveis a três contrários.

Harri Westerb Neto, o Godo, foi um dos vereadores que votou contra o projeto. De acordo com ele essa tem sido uma posição padrão dele quando o assunto é inserir mais gente na máquina pública. “Eu sempre sou contra a criação de cargos, ainda mais quando ele vem com regime de urgência, na última sessão do ano, é para gente engolir guela abaixo e eu não concordo com isso e repito não concordo com a criação de cargos com exceção da saúde e educação que é prioridade, a gente escuta o povo falar, a prefeitura já está inchada, então temos que enxugar e não colocar mais pessoas lá para dentro”, afirmou ele.

Por outro lado, o vereador, Cristiano Kormann, justificou a motivação do executivo na criação do cargo. “Era uma necessidade. Dentro do setor de comunicação com a comunidade nós temos por obrigação a contratação de agências de publicidade e isso tem um custo muito alto. A cada campanha que for feita se o Poder Público contratar agência vai gastar muito, então compensa mais ter um funcionário fazendo boa parte desse trabalho do que ficar contratando. Na verdade está se deslocando um funcionário que já está na estrutura administrativa para realizar essa função, então se cria o cargo, mas não aumenta o número de funcionários”, explicou ele.

Finalizando ele salienta o desenvolvimento do município e com isso a demanda aumenta em alguns setores. “Guabiruba vem crescendo muito, até pelo número de empregos que são gerados aqui no município e a demanda aumenta. Então o vereador de oposição ser contrário radicalmente à criação de cargo alegando que isso é ruim para o município, quando não é. Eu gostaria de ver se ele estivesse na condição de governo se estaria nesse discurso firme em relação aos cargos”, concluiu.

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões