Comandante Otávio destaca as ações de segurança para a final da Copa Santa Catarina

Na manha desta quinta-feira (14) participou da programação do Rádio Revista Cidade o tenente-coronel, Otávio Ferreira filho ele que é o comandante do 18º Batalhão da Polícia Militar. Um dos assuntos debatidos foi a segurança no primeiro jogo da final da Copa Santa Catarina entre Brusque e Marcilio Dias às 16 horas no Augusto Bauer.

O comandante explicou que a intenção é aumentar o efetivo para a partida. “Vai ser um desafio para a polícia, tão logo terminou o jogo de domingo, nós já começamos a pensar no policiamento para o jogo. Estamos reforçando o policiamento, no jogo anterior usamos 16 policiais, e nesse estamos trabalhando na média de 30 policiais para o jogo”, afirmou.

Uma novidade para acrescentar na segurança será o uso de um drone adquirido recentemente pelo batalhão. “Estamos buscando o apoio de 10 policias dos municípios vizinhos, visando um reforço, um controle, teremos um policial com um drone, monitorando principalmente as torcidas organizadas, na busca de coibir ou flagrar possíveis atos que venham em desacordo com a segurança”, contou Otávio. O trânsito em torno do estádio também deverá sofrer alterações, mas conforme o comandante ainda será decidido os pontos.

Quanto à torcida, Otávio conta que será feito uma escolta desde a entrada na cidade. “Faremos uma revista no ônibus, nos torcedores, sabemos que pela proximidade muitas pessoas vêm de carro, mas estaremos fazendo o possível para que tenhamos um belo espetáculo, e que as pessoas possam estar em segurança”, frisou ele.

Ônibus apedrejado:

Durante a entrevista o comandante lamentou o fato envolvendo a torcida do Tubarão no ultimo domingo (10). Conforme ele uma atenção especial será dada para evitar outro fato semelhante. “Queremos combater o que aconteceu com a torcida do Tubarão, onde o ônibus foi apedrejado. A pedra foi jogada de cima da ponte dos Bombeiros, com as câmeras identificamos um veículo e foi feito boletim de ocorrência agora a polícia civil vai investigar o fato”, afirmou. Ferreira disse também que outra situação similar já tinha acontecido neste ano.

Finalizando ele repudiou a atitude dessa minoria de torcedores. “Esses atos podemos considerar uma ignorância do ser humano, é um esporte, tem um vencedor, e a disputa tem que ser sadia dentro do campo”, concluiu ele.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões