"A denúncia, realmente, não partiu de nós"

O vereador Paulinho Sestrem (Patriotas) disse, em entrevista ao programa Rádio Revista Cidade, da Rádio Cidade, desta sexta-feira (19), que não houve nenhuma denúncia ao Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CAE) de Brusque sobre venda de cucas em escolas. O assunto foi levantado pelo colega de partido dele, Marcos Deichmann (Patriotas) durante a sessão da Câmara Municipal do dia 3 de setembro.

Sestrem apresentou resposta de um pedido de informações endereçado ao CAE, no qual o órgão afirma que nunca houve qualquer tipo de denúncia relacionada ao comércio de produtos alimentícios nas unidades. O documento, assinado pela presidente do órgão, Tania Mara Vieira Pompermayer, afirma que sempre que encontra quaisquer irregularidades nas escolas visitadas, é feito relato pelos conselheiros no ‘cheque list’, discutido em reunião e registrado em ata.

“Adianto que não houve nenhuma denúncia a este Conselho. Todavia, em visitas semanais, o grupo de conselheiros, ao cumprir o cronograma no início de setembro, deparou-se com banner e cartaz anunciando a venda de cucas e cachorro-quente. Esses anúncios também circularam nas redes sociais”, destacou ela no documento.

Sestrem disse não tem nenhuma relação com qualquer tipo de denúncia que possa vir a ter sido feita contra escolas em relação ao assunto. Embora não tenha citado o nome dele na ocasião, o vereador acredita que Deichmann estava se referindo a ele.

“A denúncia, realmente, não partiu de nós. Eu gosto de cuca e acho que se houvesse uma parceria entre escola, APP e a Secretaria de Educação para auxiliar a escola, até outras poderiam fazer. Só tem que ver o que diz a legislação”, frisou ele.

Na última sessão da Câmara, Deichmann apresentou números sobre a arrecadação das APPs com a venda de cucas. Na EEF do Paquetá, por exemplo, esse valor significa, segundo ele, quase a metade dos recursos.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões