"Foi uma atitude arbitrária do Zancanaro", lamenta vereador

O presidente da Câmara Municipal de Brusque, José Zancanaro (PSB), protagonizou um dos momentos mais embaraçosos dos últimos tempos no Legislativo brusquense. Ele mandou cortar o som do microfone quando o vereador Sebastião Lima (PSDB) utilizava a tribuna para se manifestar a respeito do projeto de lei 62/2019. 

A discussão girava torno da escolaridade para ocupar cargos comissionados na casa. Lima, assim como outros que o antecederam, citou valores salariais como parâmetro. Zancanaro interviu.

"Não está sendo discutido salário. O senhor se atenha ou mando cortar o som", disse ele, subindo o tom.

Lima reagiu de imediato e também subiu a voz. 

"O vereador Keka falou de salários aqui e o senhor permitiu. O vereador Paulinho também. Que o senhor use a mesma regra enquanto estiver na presidência", rebateu ele.

Jean Pirola (PP) criticou a postura de Zancanaro. 

"Não vou julgar a prerrogativa do presidente, mas me entristece muito quando um vereador é impedido de usar a palavra dessa forma".

Em aparte minutos depois, Lima disse que em 135 anos de Câmara ele entrou para a história como o primeiro a ter a palavra cortada.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões