Saúde poderá ser regionalizada a partir do ano que vem

O governo federal pretende, a partir do ano que vem, dar início ao processo de regionalização da saúde. Com isso, os repasses de recursos do Ministério da Saúde passariam a ser não mais aos municípios, mas em grupos deles.

De acordo com o ministro da pasta, Luis Henrique Mandetta, a ideia é criar os chamados distritos sanitários. Trata-se de uma reorganização para que cada setor deste seja composto por municípios que possuam característica epidemiológicas e sociais semelhantes.

“A equipe [ministerial] já está trabalhando e, agora, começa a regionalização. Ano que vem, a regionalização vai sair do papel”, disse Mandetta durante a 7ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, em Brasília.

Discutida há anos, a regionalização é uma pauta encampada por Mandetta desde que assumiu o ministério. Já durante a cerimônia de posse no cargo, o ministro manifestou a intenção de, a exemplo de seu antecessor, Gilberto Occhi, seguir discutindo o projeto de regionalização da saúde com representantes do Conass e do Conasems.

Outra linha de ação defendida por Mandetta durante a posse, e retomada hoje (29), é a necessidade de tornar os gastos mais eficientes em um cenário de crise financeira. 

 

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões