Obras da Beira Rio margem esquerda estão dentro do cronograma previsto

A obra de construção da Beira Rio Margem Esquerda vai entrar no quinto mês de trabalho e está dentro do cronograma previsto pela Administração Municipal. Nesta primeira etapa são realizados serviços de terraplanagem, limpeza do terreno, confecção de taludes e enrocamento das margens em vários pontos, do total de quatro quilômetros de via. 

Até agora foram investidos 10% do orçamento, que totaliza mais de  R$ 25 milhões, para a conclusão da Beira Rio Margem Esquerda - considerada a maior obra individual de mobilidade urbana de Brusque. 

O contrato contempla drenagem, pavimentação, passeio público, ciclofaixas, baias para transporte público e sinalização. Os trabalhos são realizados pelo Consórcio vencedor, composto pelas empresas Pacopedra, Freedom e Setorsul, 

A ponte Mário Olinger (próximo ao Corpo de Bombeiros) será prolongada, mas o início dos trabalhos depende da resolução de questões, como: o desvio da rede de água do Samae e remoção do postes de energia.
 
No Ribeirão São Pedro, onde uma ponte de 30 metros será construída, os trabalhos já iniciaram com a construção da laje de concreto para receber as vigas. “Daremos maior vazão as águas que vêm da região do bairro São Luiz”, explica o vice-prefeito Ari Vequi.

No local onde a ponte será construída há a necessidade de retirar a curva da margem direita, para melhorar o escoamento das águas do rio Itajaí Mirim. “Colocamos isso como contrapartida do contrato. Neste ponto do rio está sendo feito agora o enrocamento na margem esquerda”, detalha Vequi. 

De acordo com ele, a obra da Beira Rio Margem Esquerda é feita em etapas, por conta dos acordos de desapropriação. “Vamos lutar até o final para buscar um consenso amigável com as pessoas que residem na Beira Rio. Se não houver consenso teremos que ir para a área judicial, mas esperamos acordos amigáveis”, conclui o vice-prefeito.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões