Casal preso pela DIC pode responder por latrocínio

O casal preso pelos policiais da DIC - Divisão de Investigação Criminal de Brusque, na manhã desta terça-feira (13) pode responder pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte). A informação foi confirmada pelo delegado titular da DIC, Alex Bonfim Reis. Ele contou que o casal, que reside em Guabiruba, onde foi localizado e preso, teve a prisão temporária e preventiva solicitada inicialmente por homicídio, mas um fato novo pode alterar a tipificação do crime.

O homem de 37 anos e sua companheira, de 35, são acusados de agredirem João Batista Gonçalves, 48 anos, com um facão na madrugada do dia 29 de julho, na na Avenida Martin Luther, no centro de Brusque. Eles estavam juntos no veículo da vítima, que também residia em Guabiruba, quando após ingerirem bebida alcoólica em três locais diferentes, se desentenderam e houve uma agressão mútua, mas João Batista levou a pior.

O homem ferido foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros com dois cortes contusos na região posterior do crânio e apresentava um hematoma com edema na região do olho e supercílio esquerdo, sendo conduzido ao Hospital de Azambuja ou ficou internado por alguns dias, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dias depois.

Imediatamente após o crime a DIC começou a investigar o caso e descobriu que o casal tinha se encontrado em um posto de combustíveis na saída de Guabiruba para Brusque. Eles beberam juntos na lanchonete do posto e depois seguiram no veículo da vítima para outros dois bares, onde ingeriram mais bebida alcóolica. João Batista foi então colocado no banco traseiro do veículo e o casal sentou nos bancos da frente.

No centro de Brusque, próximo do Supermercado Angeloni, João Batista surtou e acusou o casal de terem lhe roubado, iniciando a discussão que culminou com as agressões e os golpes. O casal abandonou a vítima no local e retornou para a divisa de Brusque e Guabiruba, deixando o veículo abandonado em uma estrada secundária e seguindo a pé para o posto onde tinham deixado o veículo de propriedade do autor do crime. 

Nesta terça-feira, ao cumprir os mandados de prisão, os policiais localizaram o celular da vítima com a mulher do casal. Este fato mudou o curso das investigações e o delegado Alex Bonfim Reis cogita a possibilidade de enquadrá-los então pelo crime de latrocínio, uma vez que pelo menos um bem da vítima estava de posse do casal suspeito pela morte. O inquérito continua aberto e até sua conclusão esta alteração poderá ocorrer, complicando ainda mais a situação dos presos.

Ainda segundo o delegado da DIC, o casal vive uma relação há cerca de um ano e eles possuem filhos de relacionamentos anteriores. O autor e João Batista se conheciam há cerca de dez anos, segundo foi apurado. O casal foi encaminhado cada um para o presídio correspondente, ou seja, o homem para a UPA de Brusque e a mulher para o presídio feminino em Tijucas, ficando à disposição da Justiça.  

Veja a entrevista do delegado Alex Bonfim Reis em duas etapas, através dos vídeos abaixo:

Vídeo 1

 

Vídeo 2

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões